Mundo

Polícia belga prende mais um suspeito de ataque terrorista a Bruxelas

Polícia belga prende mais um suspeito de ataque terrorista a Bruxelas - foto: divulgação

Polícia belga prende mais um suspeito de ataque terrorista a Bruxelas – foto: divulgação

Um sexto homem foi detido na sexta-feira à noite em Bruxelas, durante uma operação da polícia sobre os atentados na capital belga, anunciou neste sábado um porta-voz da Procuradoria Federal.

A autoridade não revelou detalhes. A polícia belga, que investiga os atentados de Paris e Bruxelas, prendeu na sexta-feira um dos principais suspeitos, Mohamed Abrini, e outras quatro pessoas.

De acordo com o canal VRT, o sexto suspeito é um cidadão de Bruxelas condenado durante um processo contra o pequeno grupo islamita Sharia4Belgium na Antuérpia

A investigação prossegue e uma importante operação aconteceu em um depósito do bairro de Etterbeek, na capital Bruxelas, neste sábado. No entanto, ninguém foi preso.

Vínculo com paris

A detenção na sexta-feira de Mohamed Abrini e dos outros suspeitos confirma o vínculo entre os atentados de 13 de novembro em Paris e os ataques de 22 de março na capital belga, segundo as autoridades.

Nos dois ataques, que deixaram o total de 162 mortos, muitos suspeitos eram procedentes do bairro de Molenbeek, na capital belga, entre eles Abdelhamid Abaaoud, que teve um papel chave em Paris, e Salah Abdeslam, detido em 18 de março.

Abrini era objeto de uma ordem de detenção europeia desde 24 de novembro, como o segundo homem mais procurado pela polícia após os atentados na capital francesa.

Mohamed Abrini, suspeito de colaboração logística nos atentados de Paris, pode ser o “terceiro homem” nas explosões do aeroporto de Bruxelas-Zaventem, popularmente conhecido como o “homem de chapéu”, que fugiu depois do atentado.

A Procuradoria Federal informou que essa hipótese não foi confirmada.

A rede de molenbeek

Os investigadores suspeitam que Mohamed Abrini viajou de carro com Salah Abdeslam, último sobrevivente dos comandos que atacaram Paris, e seu irmão Brahim – que detonou sua carga explosiva nas ruas de Paris – duas vezes em 10 e 11 de novembro entre Bruxelas e Paris, pouco antes dos atentados.

De acordo com a procuradoria belga, durante as viagens os três alugaram os esconderijos na região de Paris utilizados pelos comandos terroristas de 13 de novembro.

Abrini cresceu no bairro belga de Molenbeek, como Salah Abdeslam, que está detido desde 18 de março na área de segurança máxima de prisão de Brugges, à espera da extradição para a França.

Poucas horas antes da detenção de Abrini, a polícia prendeu outros dois indivíduos, um deles identificado como “Osama K.”.

Os investigadores suspeitam que “Osama K., conhecido como ‘Naim Al-Ahmed’, pode ser a pessoa filmada pelas câmeras de segurança do metrô de Bruxelas quando conversava com Khalid El-Bakraoui antes que este último detonasse a carga explosiva junto ao corpo na estação de Maalbeek em 22 de março, no coração da capital belga.

De acordo com a investigação, Salah Abdeslam levou Osama K. de carro de Ulm, na Alemanha, até a Bélgica em 3 de outubro, mais de um mês antes dos atentados de Paris.

A polícia também deseja confirmar se esta pessoa foi a mesma que comprou as mochilas utilizadas pelos terroristas de Bruxelas.

O suspeito identificado como Osama K. pela justiça seria, segundo a imprensa belga, Osama Krayem, um sueco nascido em 1992 e morador da cidade sueca de Malmö.

Por Folhapress

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir