Mundo

Polícia belga diz ter capturado último fugitivo dos ataques em Paris

 

Prisao Bruxelas

A declaração do porta-voz de Washington Josh Earnest veio depois que Abdeslam foi preso – foto: reprodução

 

Após quatro meses em fuga, Salah Abdeslam, 26, um dos participantes dos ataques terroristas a Paris em novembro, foi preso nesta sexta-feira (18) em uma grande operação policial em Bruxelas, capital da Bélgica.

“Nós o pegamos”, escreveu no Twitter Théo Francken, ministro belga para Asilo e Migração. Segundo TVs locais, Abdeslam foi baleado na perna durante o tiroteio em um apartamento de Molenbeek, bairro de Bruxelas onde foi feito o planejamento dos atentados que deixaram 130 mortos na capital francesa.

A operação começou pouco depois de promotores belgas confirmarem que as impressões digitais colhidas em outro apartamento durante uma ação policial na terça (15) eram de Abdeslam e que ele provavelmente havia conseguido fugir do cerco que terminou com um morto, identificado como Mohamed Belkaid, também apontado como um dos participantes dos ataques de novembro.

Dos dez homens com envolvimento na série de atentados a Paris, Abdeslam era o único ainda vivo -os demais morreram nos ataques suicidas ou foram mortos em outras ações da polícia.

Acredita-se que ele dirigiu o carro que levou outros terroristas até a porta da casa de shows Bataclan. No local morreram 89 pessoas, a maioria baleada pelos extremistas.

Nascido na França, de origem marroquina, mas criado na Bélgica, Abdeslam vinha sendo procurado desde que conseguiu fugir de carro de volta para território belga. Na manhã seguinte aos ataques, ele chegou a ser parado por uma blitz na estrada em Cambrai, perto da fronteira com a Bélgica, mas foi liberado.

Abdeslam teria ainda escapado da polícia belga dois dias depois dos ataques porque os agentes tiveram de respeitar uma lei local que os proíbe de fazer operações em residências depois das 21h.

Eua

Os EUA estão ajudando as autoridades da França e da Bélgica a aumentarem a segurança nos países desde os atentados de Paris em novembro, disse a Casa Branca nesta sexta.

A declaração do porta-voz de Washington Josh Earnest veio depois que Abdeslam foi preso.

Earnest não sabia se Barack Obama havia sido informado do ocorrido, ele informou em conferência de imprensa.

“Os Estados Unidos obviamente têm importantes recursos e capacidades e nós os utilizamos para prover assistência à França e à Bélgica, enquanto esses países conduzem investigações sobre os ataques e realizam as medidas necessárias para proteger suas nações”, Earnest disse.

“Nós vamos continuar a manter contato próximo com os países sobre a questão”, ele completou.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir