Dia a dia

PMs produzem vídeo para ajudar idosos e mobilizam redes sociais e poder público

Família moradora do bairro Santa Etelvina vive em um casebre de madeira em condições insalubres - foto: Diego Cajá/Semasdh

Família moradora do bairro Santa Etelvina vive em um casebre de madeira em condições insalubres – foto: Diego Cajá/Semasdh

Um vídeo com pedido de ajuda, feito por dois polícias militares, mobilizou os manauenses nas redes sociais, nas últimas 48 horas e mudou temporariamente a vida do casal de idosos Áurea da Silva, 65, e José de Moraes, 74 e do filho deles, Abraão Silva Moraes, 33. O vídeo foi feito pelo soldado Gilson Moreno, da 23ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que ficou sensibilizado com a situação dos anciãos, que vivem em condições precárias em uma casa de madeira na rua Constituinte, bairro Santa Etelvina, Zona Norte. Sem saber o que fazer, o amigo e também soldado Paulo de Melo, da 26ª Cicom, sugeriu que fizessem um vídeo.

“Eu passava todos os dias na viatura na frente da casa, onde os idosos moram, sempre fiquei triste por ver a situação de precariedade, mas nunca tinha parado para ir lá. Porém ontem (quarta-feira), estava nublado e ia chover, fiquei muito preocupado e decidi ir ao local”, disse Moreno.

O militar contou que não imaginava que o vídeo fosse repercutir, pois em menos de uma hora, de publicação, o celular dele não parou de tocar, com ligações de pessoas interessadas em ajudar os idosos. “Integrantes dos grupamentos Rocam, BPChoque, Batalhão Ambiental, Força Tática e das demais Cicons ficaram emocionados com o apelo e resolveram ajudar o casal. Eles fizeram, por conta própria, um orçamento de materiais necessários para a reforma do casebre dos idosos, pois encontra-se na iminência de desabar. Em dias de chuva, a situação se agrava, pois chove mais dentro do que fora da casa”, informou Gilson.

Mobilização

Na manhã de ontem, equipes da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), da Defesa Civil de Manaus, e do Gabinete de Gestão Integrada de Manaus (GGI-M) estiveram no local para auxiliar a família.

“O poder público tem limitações, mas o senso humanitário da população pode ampliar os bons resultados e mudar para muito melhor a vida das pessoas. Eu tive conhecimento do caso após a subsecretária Mônica Santaella ver a postagem. Por isso é importante estarmos sempre alertas às demandas que chegam da população por todos os canais”, afirmou a secretária da Semmasdh, Goreth Garcia Ribeiro, que determinou que os chefes de departamentos se deslocassem até a área e removessem a família imediatamente.

Abraão e os pais Aurea e José foram inseridos no programa Auxílio-Aluguel e se mudaram, ainda ontem à tarde, para a nova residência com apoio da Defesa Civil de Manaus. Eles ainda receberam cesta básica e colchões. Equipes da Defesa Civil de Manaus e da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) iniciaram ontem a demolição da estrutura de madeira e retirada do entulho.

Ao tomar conhecimento do caso, dois empresários também se deslocaram até o lugar para verificar a situação dos moradores. Um deles, Jone Cabral, proprietário de uma construtora, se comprometeu a ajudar a família na conclusão da casa de alvenaria, que estava sendo erguida nos fundos do terreno. A obra foi paralisada após Abraão ficar desempregado, no segundo semestre do ano passado.

Outro compromisso assumido pelo poder público municipal foi de ajudar Abraão a voltar ao mercado de trabalho e assim, poder continuar ajudando os pais.

Por Michelle Freitas/Equipe do EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir