Política

PMDB indica Raimundo Lira para presidir comissão do impeachment

Eunício explicou que caberia a ele como líder da maior bancada, escolher entre a presidência ou a relatoria - foto: divulgação

Eunício explicou que caberia a ele como líder da maior bancada, escolher entre a presidência ou a relatoria – foto: divulgação

O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), confirmou a indicação do senador Raimundo Lyra (PMDB-PB) para presidir a comissão especial que vai julgar o processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Por ser a maior bancada da Casa e da comissão, o PMDB reivindica o posto. “O senador preenche todas as qualidades para um processo muito sério como este”, afirmou.

O PMDB tem cinco vagas. O partido deve anunciar ainda nesta quarta os demais quatro titulares do partido na comissão, além dos cinco suplentes. Eunício explicou que caberia a ele, como líder da maior bancada, escolher entre a presidência ou a relatoria. Optou pelo primeiro cargo.

Antes com voto declarado a favor do impeachment de Dilma, Lira se diz agora “indeciso”. Como deve assumir a presidência da comissão, ele diz que passou a ocupar uma “posição de magistrado.”

Um dos principais interlocutores petistas no Senado, Lindbergh Farias (RJ) afirmou que o partido concorda com a indicação de Lyra para a presidência da comissão especial. “Foi fruto da nossa pressão. É uma vitória”, afirmou.

Em relação à relatoria, caberá agora uma negociação dentro da comissão. O PSDB reivindica o cargo para Antônio Anastasia (MG), mas o PT quer barrar a negociação.

Outro nome que circula nos bastidores é da senadora Ana Amelia (PP-RS). Nesta terça (19), contudo, o líder do governo na Casa, Humberto Costa (PT-PE), criticou essa conjectura, afirmando que é necessário haver isenção no cargo de relator. O PP rompeu com o governo quando da votação da autorização da abertura do processo de impeachment de Dilma na Câmara, que ocorreu no último domingo (17).

Na terça (19), quando o processo foi lido em plenário, a maioria dos partidos já fez suas respectivas indicações para a comissão do impeachment. O PT, contudo, afirmou que vai usar todo o prazo, embora já os nomes que pretende indicar para o colegiado.

Pelo partido, devem participar como titulares, os senadores Lindbergh, José Pimentel (CE) e Gleisi Hoffmann (PR).

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir