Dia a dia

‘Piratas do Solimões’ atacam e matam comerciante em Manacapuru

                    O caso será investigado à Delegacia de Manacapuru – Foto: Divulgação

O comerciante Evandro Martins da Silva, de 53 anos, foi assassinado com três facadas, na noite desta terça-feira (20), após reagir a um assalto em seu estabelecimento, localizado  na Costa do Paratari, comunidade São José, Zona Rural do município de Manacapuru, (a 86 km de Manaus). A filha da vítima, de 27 anos, foi agredida e ameaçada de morte ao tentar proteger o pai dos assaltantes.

De acordo com o irmão da vítima, Wanderley Martins da Silva, de 51 anos, três homens chegaram de lancha até o comercio de Evandro, que fica na parte da frente da residencia dele.  Um suspeitos estava armado com uma espingarda e os outros dois com facas.

“Eles chegaram em busca de diesel, o combustível ficava dentro da casa do meu irmão Evandro. Ele pediu que eles entrassem e ajudassem a carregar os galões. No momento em em que eles retornaram para o comércio, os homens anunciaram o assalto”, contou Wanderley.

Evandro reagiu e brigou com um dos assantes, que o golpeou com duas facadas nas costas e uma no peito, próxima ao coração. No momento do crime estavam na residência, a mãe, a esposa e filha do comerciante. Ao perceber a ação dos suspeito a filha da vítima tentou proteger o pai e foi espancada.

“A minha sobrinha levou socos e também quase foi morta. O suspeito chegou a pedir a faca de outro assaltante e disse que iria matá-la. Graças a Deus ela conseguiu correr. Meu irmão não merecia isso. A vida dele era  trabalhar para a família”, lamentou o irmão do comerciante.

Após o crime, os suspeitos fugiram na lancha e não foram identificados. Os familiares, ainda informaram que a comunidade está muito perigosa e tem sido comum a ação desses assaltantes, que são conhecidos como “Piratas do Solimões”.

“Nesse período de cheia do rio Solimões, vem ocorrendo muito casos desse tipo,  os assaltantes chegam de lancha para roubas casas e comércios da região”, concluiu.

O corpo do comerciante foi levado de lancha até a sede do município e depois encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). O caso será investigado pela Delegacia Interativa de Polícia (DIP), de Manacapuru.

 

Daniel Landazuri
EM TEMPO

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir