Sem categoria

PIM perderá 10 mil vagas de trabalho até 2016

 A média mensal de 2015, até agosto, ficou estabelecida em 109.260 empregos  – foto: arquivo EM TEMPO

A média mensal de 2015, até agosto, ficou estabelecida em 109.260 empregos – foto: arquivo EM TEMPO

Até janeiro de 2016, o Polo Industrial de Manaus (PIM) pode perder, aproximadamente, 10 mil empregos e estacionar a mão de obra contratada em 90 mil trabalhadores. O alerta é do economista Rodermarck Castelo Branco.

Atualmente, de acordo com dados da Superintendência da Zona Franca de Manaus (ZFM), o PIM conta com 99,8 mil funcionários, número que deve despencar nos próximos meses devido ao alto custo com folha de pagamento e despesas casuais, como transporte, creche, entre outros fatores. Segunda a autarquia, é a primeira vez desde março de 2010 (98.960) que o total de vagas é inferior a 100 mil.

Na comparação com o mês anterior (julho), quando o total de mão de obra foi de 102.051, houve redução de 2,2%. A média mensal de 2015, até agosto, ficou estabelecida em 109.260 empregos.

PIB

Castelo Branco apontou ainda que o Produto Interno Bruto (PIB) do Amazonas deve cair 3% até o final de 2015, o que representa muito para o polo industrial local, que por anos acumulou um faturamento recorde, mas que nesse ano deverá fechar no vermelho. Segundo ele, o Estado será afetado em função da crise econômica que se abate sobre o país, que vive um momento de instabilidade com altas taxas de juros, inflação elevada, disparada do dólar e reajustes de impostos. “Toda vez que acontece uma crise no PIM, as medidas de contenção adotadas são suficientes e apaziguadoras, ou seja, no final da tudo certo. Porém, nossas controvérsias são diferentes do cenário nacional. Por exemplo, quando o PIB nacional cresce, o crescimento na Zona Franca é o dobro, e quando perdemos, a perda também é dobrada” ressaltou o economista.

Medidas

Paralelo a esses gastos, a indústria tenta se desviar da crise e cria artifícios que possam manter a competitividade e garantir os empregos. A essas medidas de contenção incluem-se diminuição de carga horária de trabalho e até férias coletivas, que são necessárias para manter os postos de trabalho. “Não é a primeira vez que passamos por crises como essa. Ainda vamos enfrentar mais uns dois anos até que consigamos nos restabelecer financeiramente”, disse Castelo Branco, ao ressaltar que a crise não deve estimular a saída das empresas do PIM.

Faturamento

Com o montante de R$ 6,49 bilhões obtido em agosto, o Polo Industrial de Manaus (PIM) registrou faturamento acumulado de R$ 50,4 bilhões nos oito primeiros meses de 2015. Embora seja o terceiro maior valor apurado no intervalo em toda a história, comparado ao mesmo período do ano passado (recorde de R$ 54,8 bilhões) a soma representa um decréscimo de 8,11%. Na comparação feita em dólar, houve uma queda de 31,16% no acumulado dos oito primeiros meses de 2015 (US$ 16.5 bilhões) ante o total apurado entre janeiro e agosto de 2014 (US$ 24 bilhões).
As exportações do PIM totalizaram R$ 1,276 bilhão entre janeiro e agosto, o que representa aumento de 16,05% na comparação com o mesmo período de 2014.

Por Mairkon Castro e assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir