Dia a dia

PF desarticula, em Maués, esquema de lavagem de dinheiro por meio da exploração ilegal de ouro

O inquérito policial instaurado para investigar a organização criminosa identificou que a área do garimpo foi invadida a partir do ano de 2012 Arthur Castro

O inquérito policial instaurado para investigar a organização criminosa identificou que a área do garimpo foi invadida a partir do ano de 2012 Arthur Castro

A Polícia Federal do Amazonas apresenta na tarde desta sexta-feira (18) o balanço da operação ‘Filão do Abacaxis’, realizada ontem e hoje em conjunto com o Exército Brasileiro e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama),  no município de Maués (a 259 quilômetros da capital).

O trabalho teve como objetivo desarticular uma organização criminosa que pratica ações de lavagem de dinheiro decorrente da exploração ilegal de ouro e degradação ambiental junto ao garimpo Filão do Abacaxis, localizado na referida cidade.

O inquérito policial instaurado para investigar a organização criminosa identificou que a área do garimpo foi invadida a partir do ano de 2012 e vem sendo usada por grupo econômico ligado a uma empresa mineradora desde então para lavar os lucros auferidos com a exploração de ouro retirado do local.

A investigação identificou que aproximadamente 70 hectares de floresta foram derrubados para permitir a exploração do garimpo e que mais de 200 quilos de ouro já foram extraídos do local desde sua invasão há três anos, o que corresponde a mais de R$ 27 milhões usurpados do patrimônio da União. Apenas na conta de uma das secretárias da empresa investigada, foram movimentados mais de R$ 12 milhões em menos de um ano.

Os proprietários do garimpo já foram identificados e tiveram prisão preventiva decretada pela 7ª Vara Federal do Amazonas, cujo cumprimento está sendo realizado na presente data. A Polícia Federal informou que não divulgará os nomes dos investigados em razão da decretação de sigilo judicial.

Por se tratar de área de floresta e para garantir que a prática dos crimes ambientais não tenha continuidade, duas pistas de pouso clandestinas que servem de apoio ao garimpo, bem como o maquinário utilizado na extração do ouro, estão sendo destruídos mediante parceria com o Exército Brasileiro e o Ibama.

Além do cumprimento de três mandados de prisão, a Polícia Federal cumpre ainda quatro mandados de busca e apreensão e mais seis mandados de condução coercitiva nos estados do Amazonas, São Paulo e Santa Catarina.

Além do cumprimento de 3 mandados de prisão, a Polícia Federal cumpre ainda 4 mandados de busca e apreensão e 6 mandados de condução coercitiva no Amazonas, São Paulo e Santa Catarina.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir