Economia

Petrobras tem ações negociadas abaixo de R$ 5

O desempenho das ações da petroleira derrubam o principal índice de ações da Bolsa brasileira - foto: divulgação

O desempenho das ações da petroleira derrubam o principal índice de ações da Bolsa brasileira – foto: divulgação

As ações da Petrobras foram negociadas abaixo de R$ 5 na tarde desta segunda-feira (5), no menor valor desde julho de 2003. Por volta das 15h50, os papéis preferenciais da estatal eram cotados a R$ 4,97, queda de 4% em relação ao fechamento de sexta (15). As ações ordinárias, com direito a voto, recuavam 2,98%, para R$ 6,50.

O desempenho das ações da petroleira derrubam o principal índice de ações da Bolsa brasileira. Por volta das 15h55, o Ibovespa recuava 0,62%, para 38.333 pontos. No mercado de câmbio, o dólar caía 0,37% por volta das 16h, cotado a R$ 4,032 para venda.

Os negócios com as ações da estatal são influenciados por mais um dia de desvalorização nos preços do petróleo, que está no menor patamar em 12 anos. Por volta das 15h50, o barril do óleo tipo Brent, principal referência no mercado internacional, recuava 0,8%, para US$ 28,70, após terem caído 6% na sexta (15), em Londres.

A matéria-prima, que já vinha em queda livre devido aos elevados níveis dos estoques mundiais, neste final de semana ganhou uma nova influência de baixa sobre as cotações: o fim das sanções econômicas ao Irã.

Detentor da quarta maior reserva de petróleo do mundo, o equivalente a 10% do total, o Irã reduziu fortemente sua presença do mercado nos últimos anos por causa das sanções de potências como os EUA e a União Europeia. A expectativa de que ele aumente os embarques da commodity rapidamente, em um mercado já superofertado, reduz ainda mais o preço da commodity.

Segundo informações do jornal britânico “Financial Times”, a estatal iraniana de petróleo já determinou o aumento de produção de 500 mil barris por dia, volume equivalente a 2% das exportações da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), cartel do qual o Irã é membro.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir