Economia

Pesquisadores da Ufam desenvolvem e lançam canal similar ao Netflix e Youtube

O ‘ICompTV’ disponibilizará conteúdo multimídia para o público em geral - foto: divulgação/Ufam

O ‘ICompTV’ disponibilizará conteúdo multimídia para o público em geral – foto: divulgação/Ufam

Pesquisadores do Instituto de Computação (IComp) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) criaram o aplicativo ‘ICompTV’, uma tecnologia similar à do Youtube e da Netflix. A ferramenta será usada para publicação e consumo de conteúdos multimídia gerados pelos professores do Icomp e já está disponível na Google Play.

Segundo o coordenador do estudo, professor e doutor em ciências da computação César Melo, o ‘ICompTV’ é resultado de um esforço que vem sendo desenvolvido ao longo dos últimos 3 anos no Icomp com foco em pesquisas relacionadas à transmissão de vídeos pela Internet. A pesquisa contou com a participação de três estudantes de graduação, dos cursos de engenharia da computação, sistemas de informação e ciências da computação, e de dois alunos de mestrado e doutorado em Informática, ambos da Ufam.

Conforme César Melo, um dos principais resultados da pesquisa é o domínio da tecnologia Streaming Adaptativo, que é uma forma de transmitir vídeo baseado na capacidade de transmissão da rede que o usuário está conectado.

A tecnologia é similar à usada por grandes distribuidores de vídeo, como o Youtube e a Netflix. “A forma mais simples de entender a tecnologia é você imaginar que cada pessoa tem um plano de dados, e esse plano de dados tem seu limite de transferência. O aplicativo é capaz de perceber qual é o plano, ou seja, qual a velocidade que está disponível em determinado instante, e usar essa velocidade para transmitir a melhor imagem que não ‘travaria’ o aplicativo. Ao longo da sessão, a tecnologia vai alterando de acordo como que está acontecendo com a rede de dados”, explicou.

O pesquisador completa que a tecnologia é uma evolução de outras ideias implementadas em anos anteriores, quando o usuário escolhia a qualidade que ele queria e isso ‘travava’ a transmissão.

“Como nossa proposta era demonstrar a aplicação da tecnologia, nós implementamos conteúdos do Icomp e criamos o piloto ‘ICompTV’, mas a forma como a tecnologia foi desenvolvida permite a utilização por outras instituições de forma customizada. Em outras palavras, eu poderia ter a ‘UfamTV’, a ‘SeducTV’. Qualquer instituição que gere conteúdo digital poderia utilizar a plataforma”, disse César.

Com informações de assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir