Dia a dia

Peritos do AM reivindicam melhores condições de trabalho e reforma predial

O diretor Ilton Soares explicou a importância da Perícia Criminal para o esclarecimento de crimes e, que por isso, merece mais atenção por parte do poder público - foto: divulgação/ Aleam

O diretor Ilton Soares explicou a importância da perícia Ccriminal para o esclarecimento de crimes e, que por isso, merece mais atenção por parte do poder público – foto: divulgação/ Aleam

O diretor do Sindicato dos Peritos Oficiais do Amazonas (Sinpoeam), Ilton Soares, expôs reivindicações como melhores condições de trabalho e reestruturação predial da sede do Instituto de Medicina Legal (IML) durante Cessão de Tempo nesta quarta-feira (19), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), concedida pelo  deputado José Ricardo (PT).

O diretor Ilton Soares explicou a importância da Perícia Criminal para o esclarecimento de crimes e, que por isso, merece mais atenção por parte do poder público.

“Sem produção de provas o acusado deve ser solto e assim o índice de criminalidade vai crescendo, virando uma bola de neve. O orçamento anual da perícia é de R$ 300 mil para suprir as necessidades de três institutos: de Medicina Legal (IML), de Criminalística (IC) e de Identificação Aderson Conceição de Melo (IACM). Mas a Lei de reestruturação aprovada ano passado pela Assembleia não contemplou os peritos, como se estes não fizessem parte da Polícia Civil (PC)”, citou.

Além disso, a defasagem estrutural da sede do IML foi outro ponto exposto pelo diretor, que indicou uma defasagem de 30 anos no prédio que inicialmente abrigava 20 peritos e hoje abriga mais de 100 peritos. A carência de pessoal é outra dificuldade: “Hoje temos 190 peritos trabalhando, quando na realidade a cidade deveria ter pelo menos 700. Isso sem falar no interior do Estado, que não conta com perícia criminal e, por isso, não permite esclarecimentos de crimes”, afirmou o diretor.

Em apartes os deputados estaduais Platiny Soares (PV) e Alessandra Campêlo (PCdoB) manifestaram apoio à classe dos peritos, ressaltando a importância destes na Segurança Pública e a responsabilidade a eles imposta. Da mesma forma, o deputado José Ricardo frisou a responsabilidade dos peritos em armazenar itens apreendidos que servem de prova como armas e drogas, o que não é possível na sede do IML, que não tem espaço adequado.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir