Sem categoria

Perícia: velocidade e falha nos freios foram causas do acidente na Mogi-Bertioga

Acidente com ônibus na Mogi-Bertioga deixou 18 mortos – foto: Prefeitura de Bertioga

Acidente com ônibus na Mogi-Bertioga deixou 18 mortos – foto: Prefeitura de Bertioga

O laudo pericial sobre o acidente ocorrido no dia 8 de junho na Rodovia Mogi-Bertioga, que provocou a morte de 18 estudantes, diz que o veículo trafegava em velocidade acima da permitida na via e tinha falha no freio. Elaborado pelo Núcleo de Física do Instituto de Criminalística, o laudo foi divulgado na noite de esta sexta (24) pelo secretário de Segurança Pública Mágino Alves Barbosa Filho.

“A conclusão é de que o veículo trafegava numa velocidade acima da máxima permitida na via e que o exame dos freios concluiu que eles apresentavam deficiência na frenagem devido ao desgaste excessivo dos tambores dianteiros, que deveriam ter sido substituídos por novos, demonstrando manutenção inadequada”, disse o secretário.

Segundo ele, o excesso de velocidade pode ter sido em decorrência dessa falha no freio ou então o motorista já dirigia em velocidade excessiva e, depois, houve a deficiência no freio. No trecho onde ocorreu o acidente, a velocidade máxima permitida é de 60 quilômetros por hora.

A investigação, de acordo com o secretário, prossegue na Delegacia de Polícia de Bertioga, que deve apurar quem era o responsável pela manutenção do veículo. “Há uma responsabilidade clara. O laudo aponta falta de manutenção e alguém, obviamente, era o responsável por essa manutenção”, afirmou Mágino.

O acidente ocorreu por volta das 22h50 do último dia 8, quando o ônibus fretado pela prefeitura de São Sebastião para o transporte de estudantes capotou no km 84 da Rodovia Mogi-Bertioga, entre o município de Biritiba-Mirim e de Bertioga, no litoral norte. O destino era a cidade de São Sebastião, no litoral paulista, para onde os passageiros voltavam depois de uma noite de aulas em universidades de Mogi das Cruzes.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir