Sem categoria

Perícia de documentos da operação Cauxi deve durar de um a dois meses

. A abertura dos pacotes foi acompanhada pela prefeita em exercício de Iranduba e o atual procurador do município - foto: divulgação

. A abertura dos pacotes foi acompanhada pela prefeita em exercício de Iranduba e o atual procurador do município – foto: divulgação

A partir desta terça-feira (17), os técnicos da Controladoria Geral da União devem levar de um a dois meses para analisar e periciar os documentos apreendidos durante a operação Cauxi, em Iranduba, no último dia 10 de novembro.

A abertura dos lacres foi realizada na manhã de hoje pela coordenação do Gaeco- Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado- do Ministério Público do Amazonas (MPE-AM).

Ao todo, cerca de 50 pacotes de plástico contendo farto material, entre DVDs, computadores, celulares e documentos, foram abertos na presença dos advogados das partes envolvidas na investigação.

Os primeiros lacres foram referentes ao material apreendido no gabinete do Prefeito afastado, Xinaik Medeiros. A abertura e conferência dos pacotes foram acompanhadas pela prefeita em exercício de Iranduba, Maria Madalena de Jesus Souza, e o atual procurador do município, como partes interessadas no caso.

De acordo com o coordenador do Gaeco, Mauro Veras Bezerra, o resultado da perícia sobre toda essa documentação pode reforçar provas da existência e atuação da organização criminosa criada para fraudar licitações na prefeitura e desviar dinheiro público.

Cassação
A operação Cauxi apurou o desvio de mais de R$ 56 milhões em verbas públicas na prefeitura de Iranduba, num esquema que envolvia o prefeito Xinaik Medeiros, a imã dele, Nádia Medeiros, o secretário de economia e finanças do município, David Queiroz, o chefe da comissão geral de licitação, Edu Correa Souza, e o secretário de infraestrutura do município, André Maciel Lima.

A descoberta das fraudes levou a população de Iranduba a se mobilizar pela cassação do prefeito, aceita nesta terça-feira pela Câmara de Vereadores de Iranduba.

Por equipe EM TEMPO Online
Com informações da assessoria

1 Comment

1 Comment

  1. De olho

    17 de novembro de 2015 at 18:23

    De acordo com o CPP, as perícias devem ser realizadas por perito oficial, na ausência de peritos oficiais aí sim a perícia pode ser feita por 2 profissionais de nível superior desde que prestem juramento. Então senhores advogados, as perícias feitas por pessoas alheias a perícia oficial deverá ser considerada ilegal pelo judiciário, ou seja, em breve eles serão soltos e o trabalho da polícia deverá ter sido em vão. As vezes acho que tudo é feito justamente p não dar em nada mesmo. De boa vontade, o inferno ta cheio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir