Dia a dia

Pedreiro morre, em Itacoatiara, com golpes de terçado depois de se envolver em briga de bar

o suspeito foi até a casa de Ronei, que ao abrir a porta, foi atingido e morto com as terçadadas - foto: divulgação

o suspeito foi até a casa de Ronei, que ao abrir a porta, foi atingido e morto com as terçadadas – foto: divulgação

O pedreiro Ronei Marques Araújo, 28, foi morto com golpes de terçado por um homem ainda não identificado, no bairro da Piçarreira, município de Itacoatiara (a 277 quilômetros da capital), após brigar com o suspeito em um bar, na madrugada do último sábado (26). A vítima ficou internada no Pronto-Socorro 28 de Agosto, Zona Centro-Sul, onde passou por procedimento cirúrgico, mas acabou morrendo na noite de domingo (27).

Segundo a Polícia Civil, Ronei consumia bebidas alcoólicas em um bar, quando embriagado, começou a discutir com o suspeito. Testemunhas não souberam informar qual a motivação da briga, mas logo em seguida, o pedreiro empurrou e desferiu um tapa no rosto do outro homem.

Ainda segundo relatos de testemunhas à polícia, após a briga, Ronei foi para sua residência e, alguns minutos depois, o suspeito que se armou com um terçado, foi até a casa de Ronei, que ao abrir a porta, foi  atingido e morto com as terçadadas.

A polícia disse ainda que após o crime, o suspeito fugiu correndo com o terçado na mão. O caso foi registrado na Delegacia Interativa de Polícia (DIP), onde testemunhas e familiares serão intimados a depor para ajudar na identificação do autor do crime.

Novo Airão

Na noite do último sábado (28), um homem identificado como Marcos José também foi morto a terçadas, na comunidade do Jaú, no município de Novo Airão (a 180 quilômetros de Manaus).

De acordo com informações da Polícia Civil, o suspeito do crime é primo da vítima, identificado como ‘Alex’. Ele teria fugido do local após cometer o assassinato. A vítima morreu no local.

O crime foi registrado na 77ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), em Novo Airão, onde também será investigado.

Com informações de Ana Sena/do Agora

Por Lindivan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir