Dia a dia

Pedreiro é morto com tiro no pescoço após reagir a assalto

O caso foi registrado como latrocínio na Delegacia de Homicídios e deve ser encaminhado para a Derfd – Arthur Castro

Após reagir a um assalto e dar uma paulada na cabeça do criminoso, o pedreiro Manoel Montalvão da Silva, o “Zequinha”, de 51 anos, foi assassinado com um tiro no pescoço, na manhã desta quinta-feira, na rua Timbó, comunidade Val Paraíso, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste.

O pedreiro chegou a ser socorrido e levado ao Pronto-socorro Platão Araújo, mas acabou morrendo minutos depois de dar entrada na unidade hospitalar.

Segundo testemunhas, o assaltante estava acompanhado de uma adolescente conhecida como “Boroca”, que vestia uma farda de escola estadual. O casal estava em uma motocicleta e fugiu roubando o celular da vítima.

De acordo com a ex-nora de Manoel, uma mulher de 33 anos, que não quis se identificar por temer represálias, ela e o pedreiro trafegavam em via pública a caminho do trabalho, quando o casal se aproximou e anunciou o assalto.

“O homem foi logo dizendo ‘passa a bolsa, passa a bolsa’, mas o Manoel pegou um pedaço de perna manca e bateu na cabeça do assaltante. O capacete dele caiu e então ele atirou”, relatou a mulher.

A testemunha disse ainda que o pedreiro já tinha sido assaltado várias vezes, atá na porta da casa dele e, por conta disso, acabou reagindo. “Aqui no bairro tem muito assalto. Todo mundo que mora aqui já foi roubado diversas vezes. Não temos segurança. Nosso bairro esta abandonado”, lamentou.

O caso foi registrado na Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS) como latrocínio  (roubo seguido de morte) e será encaminhado à Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd).

Ana Sena
EM TEMPO

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top