Política

Pedido de renúncia de Dilma deve orientar PSDB, diz secretário da sigla

O objetivo do encontro é alinhar a mensagem do ex-presidente tucano com o discurso das bancadas do partido - foto: divulgação

O objetivo do encontro é alinhar a mensagem do ex-presidente tucano com o discurso das bancadas do partido – foto: divulgação

A defesa da renúncia da presidente Dilma Rousseff, feita nesta segunda-feira (17) pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, deve ser adotada como linha principal de atuação a partir de agora do PSDB, principal partido de oposição ao governo federal.

Para o secretário-geral nacional da sigla, deputado federal Silvio Torres (PSDB-SP), a mensagem divulgada pelo ex-presidente tucano nas redes sociais unifica o partido e deve orientar o discurso da sigla, inclusive no Congresso Nacional, diante do atual cenário de crise política.

“O texto de Fernando Henrique Cardoso unificou o partido e pacificou o discurso. Essa linha deve orientar a legenda”, afirmou.

No texto, FHC disse que a renúncia seria um “gesto de grandeza” da presidente e fez um esforço para alinhar o discurso dos líderes tucanos.

Pouco depois de divulgar sua mensagem nas redes sociais, o ex-presidente reuniu em seu apartamento, em São Paulo, os dois líderes que despontam como opções do PSDB para a próxima eleição presidencial: o senador mineiro Aécio Neves e o governador paulista, Geraldo Alckmin.

Há duas semanas, aliados de Aécio defenderam a renúncia de Dilma e do vice-presidente Michel Temer e a realização de nova eleição.

Alckmin tem sido cauteloso sobre a possibilidade de impeachment agora, quando ele não teria condições de deixar o governo para disputar com Aécio a indicação do PSDB e se candidatar à Presidência da República.

A linha adotada por FHC é o principal tema em discussão na reunião do grupo de análise estratégica do PSDB, promovida nesta terça-feira (18), em Brasília.

O objetivo do encontro é alinhar a mensagem do ex-presidente tucano com o discurso das bancadas do partido na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Por Folha press

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir