Política

PCdoB, PPS e DEM reúnem sua militância neste sábado

 O PPS vem realizando vários encontros com a militância ao longo deste ano de forma a fortalecer o partido- foto: divulgação


O PPS vem realizando vários encontros com a militância ao longo deste ano de forma a fortalecer o partido- foto: divulgação

Três partidos políticos no Amazonas se reunirão, amanhã, para discutir pré-candidaturas à Prefeitura de Manaus nas eleições de 2016. De olho na cadeira do prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), as legendas PCdoB, PPS e DEM começarão a definir as estratégias de como colocarão os blocos na rua para a disputa eleitoral.

A partir das 9h deste sábado, militantes do diretório municipal do PCdoB se reunirão, no auditório do prédio da reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), para discutir os rumos do partido político até 2016. Segundo o presidente municipal da sigla, Antônio Levino, durante o seminário de política eleitoral que será realizado neste sábado, os filiados discutirão, entre outros, o projeto eleitoral para 2016 e como o partido político se comportará até julho do ano que vem.

“Há uma deliberação da executiva estadual que indica o lançamento de candidatura própria, no primeiro turno, para a Prefeitura de Manaus e uma chapa ‘puro sangue’ para o Legislativo municipal na capital”, adiantou Levino.

Segundo ele, o PCdoB listou seis nomes aptos e tratados como alternativas do partido para uma possível candidatura, em 2016: a senadora Vanessa Grazziotin, que disputou as eleições em 2012 e perdeu no segundo turno para o atual prefeito de Manaus; o ex-deputado estadual Eron Bezerra; a deputada estadual Alessandra Campêlo, que já foi à tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) anunciar sua pré-candidatura à prefeitura; a ex-vereadora Lúcia Antony; o presidente estadual do partido, Edilon Queiroz; e o líder estudantil Yann Evanovick.

“A cada momento vamos enxugando esta lista de forma que, no ano que vem, tenhamos um novo, de acordo com o cenário político posto. Preliminarmente, temos nomes para qualquer cenário político eleitoral para disputar a prefeitura”, disse Levino.

Também às 9h, os militantes do DEM no Amazonas se reunirão no auditório Belarmino Lins, na Aleam, para realizar a convenção estadual do partido. De acordo com o vice-presidente estadual do DEM, Hamilton Gadelha, a convenção reunirá lideranças políticas para eleger a nova executiva estadual do partido no Amazonas, definir os delegados que participarão do convenção nacional, prevista para dezembro deste ano, e para escolher os novos membros dos Conselhos de Ética e Fiscal da legenda.

Questionado a respeito das discussões referentes às eleições, em 2016, Gadelha disse que o assunto não está na pauta de discussões, mas poderá ser debatido. “É algo que não está na pauta, mas dificilmente deixará de ser levantado por um filiado”, assinalou.

O DEM é comandado no Amazonas pelo deputado federal Pauderney Avelino que, em 2012, disputou a Prefeitura de Manaus. Ele, que recebeu 26,7 mil votos e ficou em sexto lugar no primeiro turno das eleições, é o principal nome do partido para o Executivo municipal, em 2016.

Retorno

O deputado federal e ex-vice-prefeito de Manaus, Hissa Abrahão (PPS), também reunirá os militantes do PPS em um encontro, amanhã. A reunião será no auditório do Hotel Taj Mahal, na avenida Getúlio Vargas, centro da cidade, e tem como objetivo discutir ações que estão dando certo em outros Estados para serem implantadas na capital. “Será um grande ato para refletirmos sobre o rumo da nossa cidade e do Estado para os próximos meses e somarmos experiências”, disse Hissa, por meio de sua assessoria de comunicação.

O deputado tem negado interesse em disputar a Prefeitura de Manaus, mas em recentes entrevistas tem dito que o PPS participará, ativamente, das eleições, em 2016.

“O PPS é um partido político de luta, é um partido que não se acovarda e não se ajoelha para nenhum faraó e isso foi demonstrado ao longo dos anos. Ele (PPS) virá para a luta em 2016. De que forma iremos nos comportar, decidiremos apenas depois de março de 2016”, disse Hissa, no início desta semana, em entrevista a uma rádio local.

Por Camila Carvalho

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir