Dia a dia

Patrimônio histórico vira estudo científico em Tefé

Após as aulas teóricas, estudantes envolvidos no projeto vão a campo pôr em prática o que aprenderam. foto: divulgação

Após as aulas teóricas, estudantes envolvidos no projeto vão a campo pôr em prática o que aprenderam. foto: divulgação

Estudantes do ensino básico da escola estadual Corintho Borges Façanha, localizada no município de Tefé (a 523 quilômetros de Manaus) sob a coordenação da professora Raydiene Martins, estão desenvolvendo o projeto “Educação Patrimonial: Preservando e valorizando a história de Tefé através de seu patrimônio”.

Conforme a coordenadora, o projeto, que faz parte do Programa Ciência na Escola (PCE) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), tem como objetivo resgatar e preservar a memória coletiva de alguns patrimônios do município.

“Todo patrimônio ele é histórico, divido em material e imaterial. Em nossas pesquisas, vamos estudar somente os patrimônios materiais (casas, escolas, praças, igrejas e/ou qualquer lugar dotado de significativo valor para a história local), para se fazer o mapeamento por zonas e identificar o que é patrimônio e o que não é, e assim poder catalogá-lo e preservá-lo”, explica Raydiene.

Segundo a professora, os locais a serem estudados durante a pesquisa realizada junto com seus alunos do 8º e 9º ano, já estão definidos, mas a prioridade é dar visibi­lidade aos patrimônios desconhecidos.

“O seminário de Tefé, a rádio rural, a igreja de Santa Teresa, a comunidade Missão, o centro Irmão Falco, a praça Remanso do Boto, o mercado municipal, são patrimônios que iremos estudar, mas já são conhecidos pela população e até pelos turistas. Por isso daremos um enfoque maior nos que não são conhecidos, mas que também, de certa forma, contam um pouco da história onde uma determinada população reside. Alguns exemplos são a orla, a base do Exército, a escola Corintho Façanha, a prefeitura, só para citar alguns”, observa.

 

Metodologia

O projeto vem sendo desenvolvido na escola Corintho Borges Façanha, desde o início de junho por quatro alunos da unidade educacional. A equipe se encontra uma hora por dia, três vezes por semana pela parte da tarde, ocasião em que realizam estudos e pesquisas bibliográficas sobre patrimônios locais, nacionais e globais para a produção de um seminário.

Para capacitá-los melhor, os participantes tiveram uma palestra com o professor Msc. Tiago Santos, especialista em Patrimônio da Universidade Estadual do Amazonas (UEA). De acordo com a professora Raydiene, depois da parte teórica o projeto segue para a parte prática.

“Estamos aprendendo a metodologia científica antes de ir a campo, pois primeiro temos que conhecer sobre análise, observação, identificação e registro dos monumentos, antes de partir para a prática”, salienta.

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir