Dia a dia

Passageiros reclamam de transtornos no T2, Zona Sul

Mesmo com abrigos improvisados, o Terminal de Integração 2 (T2) provisório, no bairro Cachoeirinha, Zona Sul, não está atendendo os usuários do transporte coletivo que utilizam o espaço. Na manhã desta terça-feira , durante a forte chuva que atingiu a cidade, vários usuários que esperavam por coletivos, nos pontos improvisados, acabaram se molhando por não ter onde se abrigar.

A aposentada Irlene da Silva, 63, foi uma das pessoas que ficou molhada, por não conseguir ficar debaixo do único abrigo que foi construído para atender os usuários, que esperavam ônibus no sentido Centro/bairro. “Muita gente estava na parada de ônibus no momento da chuva, e devido ao abrigo ser pequeno, não conseguiu abrigar todos que estavam por aqui. Muita gente, assim como eu, acabou se molhando. Isso é uma falta de respeito com o usuário, pois não temos onde se proteger do sol e da chuva”, disse.

Quem também não conseguiu ficar debaixo do abrigo, durante a chuva, e buscou proteção no posto de gasolina, foi a estudante Kamile Oliveira, 22. Ela relatou que algumas pessoas chegaram a se abrigar em alguns estabelecimentos próximos ao T2, mas correram o risco de perder o coletivo, como foi o caso dela. “Eu estava esperando a linha 350 a meia hora, quando veio a chuva, fui me abrigar no posto de gasolina, o meu ônibus passou e acabei perdendo. Tive que ficar mais tempo na parada. Os órgãos responsáveis deveriam organizar melhor esse espaço. Pois o problema não são só os abrigos, mas também a falta de infraestrutura”, comentou.

Dificuldades

Em nota a Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) informou que já implantou mais abrigos em alguns dos pontos de paradas do entorno do T2, mas irá verificar a situação. A dificuldade em se implantar mais abrigos, segundo o órgão é o espaço reduzido das calçadas, principalmente na avenida Carvalho Leal. O órgão ressaltou que os transtornos são temporários e que a interdição do terminal T2 foi necessária, devido ser inviável as obras de reforma serem executadas com o terminal funcionando, por questões de segurança. O T2 será totalmente reconstruído.

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir