Política

Partidos intensificam ações para disputa pela prefeitura de Manaus

 Segunda minirreforma, campanha eleitoral deste ano será mais curta, em 45 dias, e acirrará a disputa pelo Executivo municipal em Manaus- foto: Ricardo Oliveira


Segunda minirreforma, campanha eleitoral deste ano será mais curta, em 45 dias, e acirrará a disputa pelo Executivo municipal em Manaus- foto: Ricardo Oliveira

Às vésperas das eleições municipais deste ano, partidos políticos do Amazonas tentam buscar nomes com maior visibilidade para disputar a Prefeitura de Manaus e o maior número de vagas no Legislativo municipal.

Com os prazos eleitorais apertados por conta da minirreforma eleitoral aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pela presidente da República, Dilma Rousseff (PT), líderes dos partidos no Amazonas informaram que as legendas intensificaram as articulações.

O presidente regional do PP, Francisco Garcia, informou que o partido estudará, até a segunda semana de fevereiro deste ano, um nome para disputar a Prefeitura de Manaus. Ele descartou a candidatura da titular da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Rebecca Garcia, e citou a deputada federal Conceição Sampaio (PP) para a disputa.

“Se sairmos sozinhos (sem coligar com outros partidos políticos) poderemos fazer a legenda cheia, mas se for com aliança vai ser proporcional”, disse Francisco Garcia, se referindo à disputa ao Legislativo municipal. Atualmente, o PP tem três representantes na Câmara Municipal de Manaus (CMM): Álvaro Campelo, Pastora Luciana e Socorro Sampaio, que são pré-candidatos à reeleição.

O presidente estadual do PHS, vereador Wilker Barreto, disse que a sigla vai disputar as eleições municipais com chapa cheia para a CMM, ou seja, sem coligar com outros partidos políticos. Ele informou que o PHS apoiará a candidatura do prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), que, até ontem, não tinha confirmado se disputará a reeleição.

O presidente estadual do PSB, vereador Marcelo Serafim, disse que o partido estava organizado desde 1º de outubro de 2015 e que, desde então, está apenas fazendo um trabalho de manutenção das lideranças e fortalecimento das bases com o objetivo de ter o coeficiente eleitoral suficiente para eleição de quatro vereadores.
Segundo ele, o PSB vai disputar a eleição com uma chapa “puro sangue”, sem coligar com outros partidos. Quanto a disputa pelo Executivo municipal, o vereador disse que o assunto será discutido em um momento oportuno.

“Essa decisão passa por questões nacionais, estaduais e municipais. O partido tem nomes em seu quadro e se vamos disputar ao cargo majoritário ou apoiar outra candidatura só vai ser definido mais na frente”, disse.

O vice-presidente estadual e PRB, pastor Milmar Oliveira, disse que seu nome foi cogitado tanto para o cargo majoritário, quanto para compor uma chapa de vice, mas que isso deve ser definido após algumas conversas. “Partido nenhum vence eleição sozinhos, devemos compor alianças, mas isso que seja bom para ambas as partes”, disse Milmar Oliveira.
Aliados de Dilma terão candidatos

O presidente do PCdoB, Antônio Levino, informou que o partido estuda o nome da senadora Vanessa Grazziotin, da deputada estadual Alessandra Campêlo, do presidente estadual Eron Bezerra e também do secretário estadual, Yan Ivanovich, para disputar o Executivo municipal. Quanto à CMM, o PCdoB lançará 62 nomes para a disputa.

No PT a situação é similar. O presidente do partido, Waldemir Santana, disse que a sigla estuda os nomes dos deputados estaduais José Ricardo, Sinésio Campos e do ex-deputado federal Francisco Praciano para disputar a Prefeitura de Manaus.

Segundo ele, em todos os municípios a sigla deve lançar nomes para disputar uma vaga de vereador.

“Nós temos uma meta de eleger pelo menos cinco vereadores e trabalhamos com a possibilidade de aliança com outros partidos da base do governo federal para disputa do cargo majoritário”, disse Santana.

O secretário-geral do PMDB, Miguel Capobiango, disse que o partido está se organizando para as eleições e que a disputa pela Prefeitura de Manaus será decidida pelo presidente estadual do PMDB, ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga.

Em recentes entrevistas, Braga tem negado que será candidato, mas tem dito que o PMDB disputará a Prefeitura de Manaus. Entre os cotados está o deputado federal Marcos Rotta.

Por Henderson Martins

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir