Política

Partidos definem nomes que vão compor a comissão do pedido de impeachment de Dilma

A comissão que analisará o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff definiu alguns dos integrantes que vão integrar o colegiado. Em reunião na manhã desta quinta-feira (17), o PSDB, DEM, PSD, PR, Solidariedade, PT e o PSB chegaram aos nomes que vão compor a comissão.

Com menos polêmicas internas, o PSDB confirmou os nomes que já tinham sido indicados: Carlos Sampaio (SP), líder do partido na Casa, Bruno Covas (SP), Nilson Leitão (MT), Paulo Abi-Ackel (MG), Valdir Rossoni (PR) e Shéridan (RR). O DEM também confirmou os nomes de Mendonça Filho (PE), Rodrigo Maia (RJ) e Elmar Nascimento (BA).

Na mesma linha, o PSB confirmou nomes que estavam na lista apresentada no ano passado, quando a comissão chegou a ser eleita e anulada por questionamentos em torno das chapas avulsas, não indicadas pelos líderes. Pelo PSB, estão os deputados Bebeto (BA), Tadeu Alencar (CE), Danilo Fortes (CE) e Fernando Bezerra (PE).

O PR confirmou os nomes de Maurício Quintella (PR-AL), Aelton Freitas (PR-MG), Édio Lopes (RR) e Zenaide Maia (RN).

O Solidariedade confirmou Paulinho da Força (SP), Fernando Franscichini (PR).

O PT também divulgou a relação dos deputados que vão integrar o colegiado pouco antes do prazo definido para a entrega da lista. Pelo partido da presidenta Dilma Rousseff, estão José Geraldo (PA), Pepe Vargas (RS), Arlindo Chinaglia (SP), Henrique Fontana (RS), José Mentor (SP), Paulo Teixeira (SP), Vicente Candido (SP) e Wadih Damous (RJ) .

A Liderança do PSD informou que o líder Rogério Rosso (DF) junto com os deputados Júlio César (PI), Paulo Magalhães (BA) e Marcos Montes (MG) serão membros titulares da Comissão.

Na lista para ocupar as oito vagas as quais o PMDB têm direito, além do próprio líder, estão os nomes de José Priante (PA), João Marcelo Souza (MA), Washington Reis (RJ), Valtenir Pereira (MT), Lúcio Vieira Lima (BA), Osmar Terra (RS) e Mauro Mariani (SC).

Perguntado se haverá uma orientação de voto sobre o relatório final, o líder do PMDB, Leonardo Picciani, evitou se antecipar e lembrou que a comissão ainda nem foi instalada. “O voto é o desfecho do processo. Partimos unidos na largada. O desfecho, espero que possamos chegar unidos”, afirmou. Segundo ele, o partido não tem em seu “DNA a tradição de ameaçar ou retaliar correligionários por terem posições adversas.

O PT também divulgou a relação dos deputados que vão integrar o colegiado pouco antes do prazo definido para a entrega da lista. Pelo partido da presidente Dilma Rousseff, estão José Geraldo (PA), Pepe Vargas (RS), Arlindo Chinaglia (SP), Henrique Fontana (RS), José Mentor (SP), Paulo Teixeira (SP), Vicente Candido (SP), Wadih Damous (RJ) .

Único partido a não indicar nomes foi o PP que tem direito a cinco vagas na comissão, o que pode provocar uma eleição suplementar para ocupar esses assentos

Formação

A comissão será formada por 65 deputados titulares e outros 65 suplentes indicados pelos respectivos líderes das bancadas, de acordo com o tamanho dos partidos na Câmara. Com a janela partidária que permite até amanhã (18) a troca de legendas, sem sanções para os parlamentares, a Mesa Diretora da Casa redistribuiu o número de vagas.

Para evitar questionamentos jurídicos, a redistribuição foi feita entre todos os partidos, evitando que uma vaga de partidos que perderam a representação na Câmara, como PNM e PTC, que estão sem deputados, ficasse dentro do bloco do qual participavam. Para ser eleita, a chapa precisará da maioria simples dos votos, desde que votem no mínimo 257 deputados.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir