Política

Partido Militar Brasileiro inaugura sede em Manaus

Partido vai inaugurar sede em Manaus no próximo dia 16, segundo informou um dos dirigentes locais – foto: divulgação

Partido vai inaugurar sede em Manaus no próximo dia 16, segundo informou um dos dirigentes locais – foto: divulgação

Com processo junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para conseguir um registro eleitoral e integrar a ‘constelação’ de legendas no país, o Partido Militar Brasileiro (PMBr) mira nas eleições presidenciais e corre contra o tempo para criar bases nos Estados e, dessa forma, coletar o máximo de assinaturas que possam ser úteis para acelerar o registro.

No Amazonas, a Executiva provisória da sigla inaugura no próximo dia 16 a sede do partido no bairro São Jorge, Zona Oeste, atrás do hotel de subtenentes e sargentos.

O presidente da Executiva Regional provisória do PMBr, David Azevedo, afirma que já existem diretórios montados no município de Rio Preto da Eva, Presidente Figueiredo, Maraã, Alvarães, Iranduba e Boca do Acre e outros diretórios provisórios estão sendo montados, cuja finalidade é coletar assinaturas para registrar o partido.

Segundo David Azevedo, o partido precisa colher cerca de 10 mil assinaturas no Amazonas e, em nível de Brasil, cerca de 486 mil. Conforme o dirigente, até o final de julho de 2015, o Estado já havia certificado cerca de 300 assinaturas e mais de mil nomes aguardam para dar entrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM).

“Nossa meta é que até junho de 2016 possamos alcançar as 10 mil assinaturas. Mas, em nível nacional, cada Estado ficou responsável por uma quantidade de assinaturas e assim que todos alcançarem suas metas, o diretório pretende dar entrada no TSE”, disse David.

A previsão do dirigente é que até junho deste ano todos os diretórios tenham alcançado suas metas. Ele explica que o partido está em construção desde 2011, mas que especificamente em 2013 o partido ressurgiu, uma vez que ficou parado durante todo o ano de 2012. “Em 2014 começamos a normalizar os trabalhos para a criação da sigla, isso com a ajuda do atual presidente nacional, deputado federal, Capitão Augusto (PR-SP)”, acrescentou.

Em todo o país, informou Azevedo, o Partido Militar havia conseguido até outubro de 2015 alcançar o número de 300 mil assinaturas. Ele explica que a sigla não está trabalhando com a hipótese das eleições do ano que vem, mas sim para o pleito de 2018, quando pretende lançar candidatos próprios.

“Em 2016, se conseguirmos registrar a sigla, nós iremos apenas apoiar os candidatos que se enquadrarem nas ideologias do PMBr. Mas, à princípio, não trabalhamos pensando no pleito de 2016”, disse David.

Ele afirma que, assim que o partido for registrado, existe um número de 15 a 20 deputados federais que pretendem migrar para a sigla, a exemplo do polêmico deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que pode ser uma das apostas do PMBr à disputa presidencial em 2018.

“Temos uma resolução em nível nacional de apoiar algum candidato. Nós queremos construir uma política nova, de preferência procuramos pessoas que não tenham mandatos, mas que tenham uma liderança registrada e que sejam pessoas sérias”, disse o militante.

Em dezembro de 2015, por ocasião da vinda do deputado Bolsonaro a Manaus, militantes do partido provisório aproveitaram a situação para coletar assinaturas de simpatizantes no aeroporto internacional Eduardo Gomes e na frente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

Por Henderson Martins

4 Comments

4 Comments

  1. Antonio Figueiredo da Silva

    6 de janeiro de 2016 at 19:47

    Também quero colaborar. Aguardo contato.

  2. Edgar Santos

    5 de janeiro de 2016 at 17:39

  3. Jose Elson P. Oliveira

    5 de janeiro de 2016 at 13:13

    Muito bom.

  4. claudio melo

    5 de janeiro de 2016 at 10:47

    Tô nessa. mi liguem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir