Sem categoria

Parques e unidades de conservação de Manaus ganharão brigadas de combate ao Aedes aegypti

Com pouco mais de 40 hectares, o Parque do Mindu integra o Corredor Ecológico Urbano do Igarapé do Mindu – foto: divulgação

Com pouco mais de 40 hectares, o Parque do Mindu integra o Corredor Ecológico Urbano do Igarapé do Mindu – foto: divulgação

Até o final de janeiro, parques e unidades de conservação municipais contarão com brigadas de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

Duas turmas de 30 servidores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), responsável pela gestão desses espaços protegidos, estarão participando de uma oficina de formação de brigadistas no combate ao Aedes oferecida pelo Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (Ciocs), da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

A formação das brigadas é uma das estratégias de mobilização adotadas pelo município para fortalecer o combate ao vetor dessas três doenças.

Serão criadas brigadas nos Parques do Mindu, Ponte dos Bilhares, Lagoa do Japiim, Nascentes do Mindu e Refúgio da Vida Silvestre Sauim Castanheiras, situados em diferentes pontos da cidade, a exemplo do Parque Dez de Novembro, Japiim, Cidade de Deus e Distrito Industral 2. Todos bairros situados em áreas de alto risco, de acordo com o Mapa da Vulnerabilidade da Diretoria de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Semsa.

No último dia 11, representantes das diretorias de áreas protegidas e fiscalização da Semmas estiveram reunidos com a coordenação do Ciocs para a definição de uma estratégia de atuação conjunta no sentido de apoiar o trabalho de combate ao mosquito.

Durante o treinamento, os brigadistas aprenderão sobre os hábitos do mosquito e o que se deve fazer para destruir os criadouros, além de identificar as larvas e suas diferentes fases. O brigadista é orientado a identificar os criadouros naturais e artificiais, e também aprende em qual momento deve solicitar o apoio dos agentes de endemia, para a aplicação de biolarvicida.

Servidores da sede da Semmas também serão treinados para atuarem na busca ativa e combate aos focos. A intenção é apoiar o trabalho visando reduzir os danos que a proliferação dos focos possa vir a causar.

O treinamento dura em média um hora e é sucedido por uma atividade prática. Depois de treinados, os participantes assinam um termo de compromisso em que se responsabilizam em realizar, com a regularidade devida, a busca ativa por focos em seus locais de trabalho.

A Semmas apoiará também as ações de abordagem a borracharias e terrenos baldios particulares, apontados como potenciais focos de proliferação do Aedes aegypti. “A ideia é compor com a rede de saúde municipal o trabalho de fiscalização e dar o suporte na identificação e notificação de proprietários de terrenos e empreendimentos que sejam alvo de denúncia, bem como atuar na orientação de combate aos focos em pontos estratégicos”, afirmou a diretora de Fiscalização da Semmas, Regina Cerqueira.

Segundo ela, a mobilização é importante tendo em vista a gravidade do problema, sobretudo no que se refere ao Zyka Vírus e o risco para as gestantes. Os interessados em fazer o treinamento podem agendar por meio do disque saúde 0800-280-8280.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir