Política

Parlamento Amazônico discute solução para a BR-319 nesta quarta

Segundo Sinésio, o objetivo é verificar o que ainda falta para que as obras sejam liberadas e de que forma que os parlamentares podem contribuir para acelerar o processo - foto: divulgação

Segundo Sinésio, o objetivo é verificar o que ainda falta para que as obras sejam liberadas e de que forma que os parlamentares podem contribuir para acelerar o processo – foto: divulgação

Parlamento Amazônico discute solução para a BR-319 nesta quarta (23) Parlamentares dos nove Estados que compõe o Parlamento Amazônico debaterão nesta quarta-feira (23), com a participação de representante do Departamento Nacional de Insfraestrutura de Transporte (Dnit), a  recuperação da BR-319. A estrada é um dos temas da 6ª  Reunião Ampliada do Parlamento Amazônico, que também discutirá a tarifa de energia que incide sobre os nove estados da região Amazônica e o papel da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) no desenvolvimento desses Estados.

A reunião acontecerá, a partir das 9h, na Assembleia Legislativa de Porto velho (ALE-RO). Para o evento foram convidados o Diretor  Geral do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), Valter Casimiro Silveira e o Superintendente Regional do órgão,  Sérgio Augusto Mamanny, além da superintendente da Suframa,  Rebecca Garcia, do secretário nacional de Ciência e Tecnologia, Eron Bezerra e do presidente da Eletrobrás, Luiz Marcelo Reis de Carvalho.

Entre os deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) que participarão do evento estão o presidente da Casa, deputado Josué Neto (PSD), o vice-presidente Belarmino Lins (PROS), o presidente do Parlamento Amazônico, deputado Sinésio Campos (PT), e os deputados Francisco Souza (PTN), Orlando Cidade (PTN), Bi Garcia (PSDB), Bosco Saraiva (PSDB), e Carlos Alberto (PRB).

Segundo Sinésio, o objetivo é verificar o que ainda falta para que as obras sejam liberadas e de que forma que os parlamentares podem contribuir para acelerar o processo. As obras de manutenção da BR-319 foram suspensas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em outubro do ano passado. O órgão afirmou ter encontrado irregularidades e graves danos ambientais no trecho entre os quilômetros 250 e 655, que liga Humaitá a Manaus.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir