Economia

Para ministro, indústria volta a crescer neste ano

Ministro Marcos Pereira, governador José Melo e a superintendente Rebecca Garcia – Arthur Castro

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, está otimista com a recuperação da economia brasileira e espera a retomada do crescimento da indústria já a partir do segundo semestre deste ano. “Estamos confiantes que a economia do país, a partir do próximo semestre, voltará a crescer em patamares que são realmente necessários para o crescimento do Brasil”, disse o ministro, nesta quarta-feira (15), durante sua participação na 278ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (CAS).

Segundo o ministro, quando a economia do país crescer, o Polo Industrial de Manaus (PIM) vai voltar a “aquecer” e gerar mais empregos. A confiança do ministro reside no fato de que, segundo ele, a inflação já está na meta e os juros estão baixando, fatores que contribuem para aumentar a procura por investidores para a indústria nacional.

Sobre o desempenho da indústria em 2016, que deixou a produção industrial no Amazonas, com recuo de mais de 10%, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Marcos Pereira informou que, a expectativa é que haja uma melhoria em comparação ao mesmo período, uma vez que estão trabalhando com a possibilidade real na mudança.

Segundo o ministro, a indústria retrai quando a economia retrai. Marcos Pereira afirmou ainda que a possibilidade de saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) trará uma projeção na economia do Brasil de mais de R$ 30 bilhões. “Temos a absoluta confiança que isso vai gerar consumo. Gerando consumo, gera produção e tira a indústria da retração”, avaliou.

Sobre as exportações de produtos do Amazonas, o ministro explicou que a indústria local precisa ter competitividade. Segundo Marcos Pereira, esse equilíbrio vai acontecer quando houver a melhoria do ambiente de negócio, o chamado “custo Brasil”. Para isso, o ministro informou que estão trabalhando com as reformas que estão sendo discutidas no Congresso Nacional.

Para o presidente do Conselho Regional do Economia (Corecon-AM) e vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, Nelson Azevedo, a economia deverá se estabilizar a partir do segundo semestre de 2017. No entanto, o economista explicou que o governo federal deve tomar algumas medidas para desburocratizar alguns processos no Estado. “Não há dúvida que há um clima de otimismo, porém é preciso que o governo faça algumas ações para melhorar a economia”, disse.

Henderson Martins
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir