Esportes

Palmeiras busca opções para vaga de Cleiton Xavier e pode até mudar esquema

Cleiton Xavier deve voltar aos treinos somente daqui a cinco semanas - foto: reprodução

Cleiton Xavier deve voltar aos treinos somente daqui a cinco semanas – foto: reprodução

O Palmeiras começou a temporada 2016 com más notícias em relação à condição física do meia Cleiton Xavier, que deve voltar aos treinos somente daqui a cinco semanas. Até lá, Marcelo Oliveira testará substitutos para posição do camisa 10.

Hoje, o time alviverde conta com Dudu para a posição de meia centralizado, no esquema 4-2-3-1. Antes, ainda em agosto do ano passado, Robinho desempenhava a função. Contratado há exato um ano, Cleiton entrou em campo apenas 17 vezes, quatro como titular, com apenas um gol marcado.

Com a atual lesão muscular na panturrilha direita, o camisa 10 ficou fora da primeira lista do Campeonato Paulista -ele ainda pode ser inscrito na reta final, a partir das quartas de final. Nos próximos dias, o Palmeiras divulgará a relação de 30 atletas para a Libertadores.

Com 38 jogadores no elenco, Marcelo Oliveira tem outros jogadores para desempenhar a função de meia por dentro. Além de Dudu e Robinho, o técnico conta com o meia Allione e o recém-contratado Régis. Para Marcelo, a ideia é revezar jogadores na posição.

“Pelo fato de o jogo estar muito dinâmico, compactado, muita marcação, esse jogador está perdendo um pouco de espaço. Quando existe o que organiza o time, bate faltas, é muito assediado, sai fora do país como aconteceu com tantos jogadores. É melhor cumprir essa função revezando os jogadores”, disse na semana passada.

O comandante alviverde ainda admitiu que pode utilizá-lo centralizado no meio-campo, no lugar de Dudu. Nesses caso, o camisa 7 voltaria a atuar pelo lado do campo, na vaga de Robinho.

“Se tiver o Cleiton, ótimo. E também o Régis poderá cumprir no futuro, tem essa característica. Não tem essa necessidade, a não ser que tenha uma compensação técnica absurda, para que o jogador seja mantido. O Robinho cumpre por dentro, jogamos com o Dudu por dentro”, explicou o treinador.

Na última partida do Palmeiras, no empate por 2 a 2 com o São Bento, Régis entrou no lugar de Jean, que fazia a função de segundo volante. Dessa forma, o esquema tático do time mudou para o 4-3-3, com apenas um volante à frente da zaga (Thiago Santos), dois meias (Robinho e Régis) e três atacantes: Erik (Gabriel Jesus), Dudu (Rafael Marques) e Alecsandro (Barrios).

Marcelo admite até, em algumas situações, escalar um time com mais jogadores na contenção. “(Posso optar) também, estrategicamente, por um time com três volantes, saindo dois e um ficando mais atrás, com dois atacantes abertos e um na referência”, ressaltou.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir