Dia a dia

Pais denunciam falta de merenda e material em escolas do Educandos, Zona Sul

 

A Semed informou que as denúncias são improcedentes, mas os fatos serão averiguados – foto: divulgação/Semcom

A Semed informou que as denúncias são improcedentes, mas os fatos serão averiguados – foto: divulgação/Semcom

Pais de alunos matriculados em duas escolas da rede municipal de ensino, localizadas no bairro de Educandos, Zona Sul de Manaus, denunciam que aproximadamente há um mês a merenda está reduzida e até mesmo deixa de ser distribuída aos estudantes, além de o material de expediente utilizado pelos professores em sala de aula também estar em falta.

De acordo com a mãe de um aluno da Escola Municipal Nazira Chamma Daou, situada na rua Inácio Guimarães, alguns professores têm utilizado fraldas de pano e papeis para apagar a lousa. A mãe, que não quis ter a identidade revelada, contou ainda que há falta de merenda escolar na unidade.

Após receber a equipe do EM TEMPO Online, a gestora da unidade explicou que os materiais de expediente, armazenados na própria escola, são distribuídos semanalmente e que a divisão dos mesmos foi feita na manhã desta terça-feira (5).

“A merenda está sendo servida, não é o cardápio completo, mas supre as necessidades dos alunos. O cardápio é composto por baião, baião com calabresa ou ovos e, às vezes, sopa de feijão. Não temos dificuldades nessa questão da merenda, entretanto precisamos reduzir para durar mais. Nós atendemos cerca de mil alunos nos três turnos”, informou a gestora da escola.

Já a responsável pela direção do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Professor José Érico de Souza, na avenida Boulevard Rio Negro, não permitiu a reportagem nas dependências da instituição e negou que as denúncias fossem verdadeiras.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que as denúncias não procedem, porém, as gestoras serão contatadas e uma equipe do setor de logística e infraestrutura da pasta será encaminhada aos locais para averiguar os fatos.

A nota explica que itens como carne, feijão e arroz, são distribuídos quinzenalmente nas unidades. Já verduras, legumes e frutas são repassados semanalmente. Para as escolas que possuem pouco espaço de armazenagem para os alimentos, a distribuição é feita semanalmente.

Quanto aos materiais usados pelos professores, a secretaria informou que as unidades escolares possuem o recurso do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), “que consiste na assistência financeira às escolas públicas da educação básica. Este recurso é utilizado para a melhoria da infraestrutura física e pedagógica de cada instituição de ensino”.

Mesmo com o programa, a pasta complementa o material, conforme a solicitação da gestão. No caso das duas escolas, alvos de denúncias, a distribuição do conteúdo fica sob responsabilidade da direção das instituições, afim de evitar desperdícios.

Por Cecília Siqueira (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir