Dia a dia

Pai e filho são presos após tentar subornar delegado de Humaitá

Pai e filho foram autuados pelo crime de corrupção ativa e ficarão à unidade prisional do município - foto: divulgação/PC

Pai e filho foram autuados pelo crime de corrupção ativa e ficarão à unidade prisional do município – foto: divulgação/PC

Mauro Jorge da Silva, 48, conhecido como ‘Belo’, e o filho dele, Ráferson Santos Silva, 25, conhecido como ‘Neném’, foram presos após tentarem subornar o delegado da Polícia Civil, Marcus Rezende, que atua na delegacia de Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus). A dupla foi presa na noite da última sexta-feira (29), no quilômetro 180 da rodovia Transamazônica (BR-230), no Distrito de Santo Antônio do Matupi.

Conforme o delegado Marcus Rezende, a detenção dos dois homens ocorreu em virtude de uma minuciosa investigação iniciada por suspeitas levantadas pela própria autoridade policial.

“No dia 28 de janeiro estava voltando de uma missão em Apuí, quando avistei um casebre na rodovia Transamazônica com dois carros novos estacionados. Ao realizar uma abordagem, tive acesso aos documentos dos veículos e enviei para a Polícia Rodoviária Federal de Porto Velho para análise da documentação, então fui informado que um dos carros estava com inconsistência documental. Em seguida, levei os veículos até Humaitá para que fossem feitos os procedimentos de averiguação”, explicou.

Ainda de acordo com o delegado, ao realizar um levantamento sobre o nome dos suspeitos, foram identificadas muitas reportagens que citavam a dupla como procurada pela prática do crime de estelionato no Pará.  “Diante desses fatos, resolvi ir até a casa dos suspeitos notificá-los para prestarem depoimento, quando cheguei ao local, constatei que os dois homens iriam fugir, pois encontramos Ráferson dormindo em um hotel e Mauro dormindo em outra casa, com os veículos deles abastecidos e com malas prontas dentro dos carros”, disse Rezende.

Ao ser presa, a dupla ofereceu dinheiro ao delegado para serem liberados e, por esse motivo, eles foram presos por corrupção ativa e conduzidos à delegacia para os procedimentos cabíveis.

Ao chegarem na delegacia os homens tentaram mais uma vez subornar a autoridade policial, oferecendo a ele um carro modelo Hilux, em troca da liberdade.  “Eu respondi a eles que não sou corrupto, pois estudei para ganhar dinheiro com meu trabalho de forma honesta. Não tem acerto comigo, eu não tenho preço, tenho valor”, concluiu o delegado.

Ao entrar em contato com o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Santana do Araguaia, no Pará, Alberone Miranda, Rezende soube que a Polícia Civil do Pará havia feito o pedido de prisão preventiva dos dois homens pelo crime de estelionato. Eles deram um prejuízo de mais de R$ 1,5 milhão a produtores da cidade de Santana do Araguaia.

Pai e filho foram autuados pelo crime de corrupção ativa e ficarão à unidade prisional do município à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir