Mundo

Pai da criança afogada em praia da Turquia chega à cidade natal para enterro

O pai da criança síria de 3 anos que apareceu morta, na quarta-feira (2), numa praia da Turquia e cuja imagem chocou o mundo chegou nesta sexta (4) à sua cidade natal de Kobane para enterrar a família, revelou um fotógrafo da agência France Presse (AFP).

Abdullah Al Kurdi chegou à cidade fronteiriça turca de Suruc, destruída pelo Estado Islâmico, com os caixões dos dois filhos, o pequeno Aylan, de 3 anos, e Galip, de 5 anos, e da mãe das crianças, todos mortos por afogamento enquanto tentavam fugir para a Turquia e com destino ao Canadá.

Segundo a AFP, um longo cortejo acompanhou o pai das duas crianças afogadas até a fronteira com a Síria.

Em Kobane, um fotógrafo da agência de notícias francesa contou que Abdullah Al Kurdi estava ainda em choque com a tragédia que aconteceu com sua família e que abalou o mundo.

Os preparativos estavam em andamento na cidade para enterrar os integrantes da família como mártires, porque eles “pagaram com suas vidas para escapar da guerra”, de acordo com autoridades locais citadas pela AFP.

O pai de Aylan disse ontem (3) que, além dos seus dois filhos e da mulher, tinham morrido outros nove refugiados sírios no naufrágio do seu barco durante a noite ao tentar chegar à ilha grega de Kos, entrada para a União Europeia.

“Eu segurei a mão de minha esposa, mas os meus filhos escorregaram-me das minhas mãos”, disse o pai nessa quinta-feira à agência de notícias turca Dogan.

O corpo do pequeno Aylan, de 3 anos, foi descoberto na quarta-feira de manhã deitado na praia em Bodrum, uma estância da Riviera turca e conhecida internacionalmente, com o rosto na areia.

Após o naufrágio que matou a família Kurdi, a polícia turca prendeu quatro traficantes, todos de nacionalidade síria.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir