Mundo

Organização Mundial da Saúde teme epidemia de cólera no Haiti

Organização Mundial de Saúde liga 'sinal' de alerta no Haiti - foto: Orlando  Barria/Agência  Lusa

Organização Mundial de Saúde liga ‘sinal’ de alerta no Haiti – foto: Orlando Barria/Agência Lusa

A Organização Mundial da Saúde (OMS) comunicou nesta quinta-feira (13) a preocupação com a possibilidade de uma epidemia de cólera no Haiti, em decorrência das inundações provocadas pela passagem do Furacão Matthew, que atingiu o país no último dia 4.

“Antes do furacão, tínhamos sérios problemas de acesso à saúde, água e saneamento, e casos de cólera. E, quando o abastecimento de água é interrompido, os casos de cólera aumentam. Estamos seriamente preocupados com uma epidemia”, disse o representante da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no Haiti, Jean-Luc Poncelet, em comunicado.

Segundo Poncelet, estima-se que no Sudoeste do Haiti, 80% das casas perderam o telhado e a maioria dos hospitais sofreu grandes danos. Ao menos 100 instalações não podem funcionar na região.

Mais de 1,3 milhão de haitianos afetados pelo furacão necessitam de apoio humanitário. Por isso, a Opas informou que equipes multinacionais de especialistas foram mobilizadas para Jérémie, Les Cayes e para a capital, Porto Príncipe, para apoiar as operações e restaurar a capacidade dos serviços e sistemas de saúde. Especialistas em emergências e desastres, serviços de saúde, vigilância epidemiológica, logística, transporte e comunicação estão na Opas no Haiti.

De acordo com a OMS, o país já teve 800 suspeitas de cólera este ano. A agência das Nações Unidas decidiu enviar 1 milhão de doses de vacina contra cólera para o país e kits contra a doença com soluções de reidratação oral, cateteres e tratamentos de cloração da água para atender pacientes com diarreia aguda.

A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) também está no país tratando feridos e pacientes com cólera. Em comunicado, a MSF informou que está priorizando as áreas onde as necessidades ainda não foram avaliadas e a ajuda ainda não chegou.

Além dos problemas de saúde pública, 300 escolas foram destruídas ou danificadas, e 100 mil crianças não poderão retornar às aulas tão cedo. No Haiti, duas milhões de pessoas foram afetadas pelo furacão, que deixou, até agora, quase 500 mortos no país, na contagem oficial. Mais de 61 mil pessoas foram retiradas de suas casas por segurança.

O Furacão Matthew assolou o Haiti com ventos de 235 quilômetros por hora, deixando rastros de destruição em todo o Caribe e no Sudeste dos Estados Unidos.

Doações

As Nações Unidas lançaram um apelo à comunidade internacional para recolher cerca de US$ 120 milhões em doações para ajudar a população haitiana.

A Embaixada do Haiti no Brasil emitiu nota agradecendo ao povo brasileiro por todas as manifestações de apoio. Segundo a representação diplomática haitiana, as doações podem ser feitas na conta-corrente 982.054-X, Banco do Brasil, agência 1606-3.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir