Sem categoria

Operação desarticula organização que desviava medicamentos da rede pública em Manaus e Região Metropolitana

O bando foi autuado por organização criminosa, peculato, furto qualificado e receptação - foto: divulgação

Até o momento, segundo a Polícia Civil, sete pessoas foram presas – foto: divulgação

A Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) deflagrou, no início da manhã desta sexta-feira (13), a operação ‘Esculápio’, em Manaus e em municípios da Região Metropolitana. A ação teve como objetivo desarticular uma organização criminosa que realizava desvio de medicamentos da rede pública de saúde.

A ação, que começou por volt das 5h, tem apoio da Polícia Civil, Secretaria Executiva-Adjunta de Operações (Seaop) e do Departamento de Vigilância Sanitária (Visa Manaus). Ao todo, 10 pessoas foram presas em cumprimento a mandado de prisão, outros cinco foram presos em flagrante. Cerca de 90 policiais participaram do trabalho.

O delegado titular do 31º Distrito Integrado de Polícia (DIP) de Iranduba, Paulo Mavignier, avaliou de forma positiva a operação.

“Conseguimos fazer uma grande apreensão de medicamentos desviados da prefeitura, todos os mandados de prisão foram cumpridos. A quadrilha foi desarticulada”, disse Mavignier.

O delegado explicou como a quadrilha agia. “Era uma associação criminosa onde cada uma tinha uma função. Os auxiliares de almoxarifado desviavam os medicamentos, as pessoas que trabalhavam na limpeza escondiam os remédios em lugar estratégico, onde os responsáveis pelos transportes pegavam e levavam nos carros oficias para distribuir em algumas farmácias de Manaus e em Iranduba”, concluiu.

O titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Homero de Miranda Leão, falou que no dia 25 de março foi feita uma denúncia anônima informando que medicamentos estavam sendo desviados da Semsa e eram comercializados em drogarias de Iranduba, após a denúncia foi feito um oficio sobre o fato e entregue ao delegado de Iranduba.

“Infelizmente, existem muitas pessoas que agem de má fé, a maioria desses medicamentos era para crianças e idosos. Essas pessoas não são funcionários da prefeitura, elas trabalhavam em uma empresa terceirizada que cuidava da parte de logística da secretaria. Não temos o valor exato de quanto foi desviado, a partir de segunda-feira será feito o levantamento e vamos saber o tamanho do prejuízo”, disse Homero de Miranda Leão.

O bando foi autuado por organização criminosa, peculato, furto qualificado e receptação. Após os procedimentos eles serão levados para uma das unidades prisionais da capital.

Por Mara Magalhães
Atualizada às 11h para inserção de mais informações

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir