Dia a dia

Operação de combate à poluição sonora no Centro apreende 15 caixas de som

Ninguém foi multado, uma vez que a operação teve mais caráter educativo - divulgação

Ninguém foi multado, uma vez que a operação teve mais caráter educativo – divulgação

Dez autos emitidos e 15 caixas de som apreendidas, encontradas em frente dos estabelecimentos, o que é terminantemente proibido. Esse foi o resultado da primeira operação de combate à poluição sonora deste ano, realizada pela prefeitura de Manaus, na manhã desta quinta-feira (25). Ninguém foi multado, uma vez que a operação teve mais caráter educativo.

A operação, concentrada na rua Marechal Deodoro e avenida Sete de Setembro, contou com o apoio da Polícia Militar e da Guarda Civil Metropolitana. Os fiscais também percorreram diversas vias do entorno com a finalidade de flagrar possíveis situações de excesso de volume de som.

De acordo com o diretor de Fiscalização em exercício da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Dalison Neto, o trabalho contínuo de combate à poluição sonora nessa área do Centro, que concentra um grande número de lojas e restaurantes, vem surtindo um efeito positivo na diminuição do barulho nas vias.

“Hoje percebemos uma diferença bastante positiva nesta área central em relação há anos anteriores, mas ainda recebemos denúncias  de pessoas que se sentem prejudicadas pelo barulho, que pontualmente algum estabelecimento produz”, explica Dalison Neto. Ele lembra que, por ser a primeira ação do ano nesta área, a operação teve caráter mais educativo e resultou apenas na apreensão de equipamentos sonoros.

“Buscamos conversar com os lojistas flagrados por estarem com as caixas na porta dos seus estabelecimentos e apreendemos os equipamentos sem a emissão de multa em função do caráter educativo da ação, mas estamos dando início ao trabalho,  que é constante, principalmente nesta área do Centro e retornaremos para novas operações, desta vez com multas que têm valores altos”, adiantou o diretor.

Em duas situações encontradas, no caso de uma caixa de som utilizada por um cantor na avenida Sete de Setembro e uma loja de roupas na Marechal Deodoro, o decibelímetro ultrapassou a marca dos 60 decibéis permitidos para áreas do tipo área mista, com vocação comercial e administrativa. Nos demais, as caixas amplificadores estavam posicionadas na porta da loja.

“O equipamento foi apreendido e enquadrado pelo uso indevido. O Centro é uma zona sensível a ruídos e já possui poluição sonora causada pelo trânsito e pedestres. E evitamos o uso de mais um ruído produzido por qualquer fonte que seja mecânica”, avaliou Dalison, lembrando que a finalidade do posicionamento da caixa naquele local seria a de propagar o som para a área externa. “Nossa ação é preventiva”, reforçou.

A Semmas deverá se reunir com as diretorias da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Associação Comercial do Amazonas (ACA) para promover o nivelamento dos procedimentos corretos a serem adotados pelos lojistas relativos à poluição sonora.

Além da Sete de Setembro e da Marechal Deodoro, foram percorridas as ruas Barroso, Henrique Martins e Rui Barbosa.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir