Mundo

ONU: crise dos refugiados exige aumento significativo da solidariedade mundial

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon,  declarou hoje (30) em Genebra que a crise dos refugiados sírios exige “uma subida exponencial da solidariedade mundial”. Ele falou na abertura de uma conferência visando a encontrar países de acolhimento.

“Estamos aqui para responder à maior crise de refugiados e deslocados do nosso tempo”, disse Ban Ki-moon. “Isso exige uma subida exponencial da solidariedade mundial”.

Segundo ele, pelo menos 480 mil sírios, ou seja, 10% dos refugiados e deslocados que saíram da Síria por causa do conflito, precisam encontrar um país de acolhimento nos próximos três anos.
“Os vizinhos da Síria deram provas de uma hospitalidade excepcional”, disse o secretário. Ele lembrou que o Líbano acolheu mais de 1 milhão de sírios, a Turquia mais de 2,7 milhões e a Jordânia mais de 600 mil.

De acordo com relatório divulgado nessa terça-feira (29) pela organização não governamental britânica Oxfam, os países ricos reinstalaram 67.100 refugiados sírios, ou seja, 1,39% do total.

“Quando é bem gerido, o acolhimento de refugiados constitui ganho para todos”, destacou Ban Ki-moon. Os refugiados “trazem novas competências e novas experiências a uma mão de obra envelhecida. As tentativas visando a transformá-los em diabos não só são ofensivas como incorretas”, acrescentou.

O secretário lembrou ainda que as Nações Unidas procuram encontrar uma solução política para o conflito, que entrou em seu sexto ano e já deixou mais de 270 mil mortos.

“Enquanto esperamos que as negociações deem frutos, o povo sírio e a região enfrentam uma situação desesperada”, afirmou. “O mundo deve avançar com ações e compromissos concretos. Todos os países podem fazer mais”, completou.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir