Economia

Ônibus podem voltar a transportar na BR-319

Flávio explicou que, antes de retomar os trabalhos, a empresa realizará uma viagem de reconhecimento da estrada, no próximo dia 16 - foto: Diego Janatã

Flávio explicou que, antes de retomar os trabalhos, a empresa realizará uma viagem de reconhecimento da estrada, no próximo dia 16 – foto: Diego Janatã

Mesmo diante da polêmica em torno da liberação das obras na BR-319, empresas de ônibus que fazem o transporte regular de passageiros intermunicipal e interestadual de Manaus, trabalham para voltar a operar na rodovia federal, para o sul do Amazonas e a capital de Rondônia. As empresas Aruanã e Eucatur paralisaram o serviço desde fevereiro, por conta das condições precárias, principalmente no trecho entre os quilômetros 250 e 655, mais conhecido como “meião”.

As obras de recuperação do “meião” seguem indefinidas entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Ainda assim, a expectativa dos empresários é que os serviços sejam retomados no final deste mês, conforme a previsão dada pela Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado do Amazonas (Arsam).

O diretor operacional da Aruanã Transportes e vice-presidente do Sindicato das Empresas de Transportes do Amazonas (Sinfretam), Flávio Cândido, disse que as condições da estrada mantêm o tráfico de veículos impossibilitado. Ele informou que a Arsam solicitou que as empresas de transporte paralisassem o serviço devido à precariedade da estrada. “Estamos sem trabalhar desde o dia 28 de fevereiro. Por uma questão de senso, entendemos que continuar fazendo o transporte seria colocar em risco a vida dos passageiros”, observou.

De acordo com Flávio, que trabalha no ramo de transportes há mais de 40 anos, o “meião” da BR-319 apresenta problemas como grandes atoleiros (lamaçal), buracos, desníveis, desvios, pontes inacabadas e quebradas e falta de iluminação pública. Porém, a expectativa é que no fim deste mês a empresa possa retomar os trabalhos, normalmente, visto que estão sendo feitos trabalhos de manutenção no local, e não tem chovido muito nos últimos tempos, o que mais prejudica o tráfico de veículos, conforme analisou o diretor da Aruanã.

Flávio explicou que, antes de retomar os trabalhos, a empresa realizará uma viagem de reconhecimento da estrada, no próximo dia 16. “A intenção é verificar como a estrada se encontra. Uma equipe de engenheiros terceirizados, instrutores de motoristas e advogados que atuam na parte jurídica da nossa empresa farão uma visita à BR-319 para analisar se há possibilidade de trafegar com segurança. Temos total consciência de que é preciso esse vistoriamento antes”, sustentou.

O agente de transportes da empresa Eucatur, Joffrey Melo, informou que a companhia também precisou paralisar os serviços. Segundo o funcionário, o último embarque foi feito no dia 15 de março com destino para a cidade de Porto Velho (RO). Ele relatou que na penúltima viagem, para Manicoré, um dos transportes ficou atolado na estrada por mais de 36 horas.

“Devido a essas dificuldades e priorizando a segurança dos nossos passageiros, nós decidimos parar as rotas. É possível que no final deste mês nós retomemos os serviços, mas vai depender muito das condições da estrada”, observou o gerente de transportes da Eucatur.

Por Bruna Amaral

1 Comment

1 Comment

  1. Nivaldo nunes

    5 de maio de 2016 at 15:52

    Precisamos de precionar mais as autoridades do governo para que atendem a população que nessecita dessa BR 319 tenham direito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir