Dia a dia

Olimpíadas levam ações receptivas ao aeroporto de Manaus

Aposta da Manauscult e da Amazonastur é a de cativar o turista durante o período de grandes eventos que são realizados em Manaus – foto: Marcio Melo

Aposta da Manauscult e da Amazonastur é a de cativar o turista durante o período de grandes eventos que são realizados em Manaus – foto: Marcio Melo

O ritmo de boi-bumbá deu o pontapé inicial às ações de receptividades promovidas pela Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur) em parceria com a Manauscult, para dar boas-vindas aos mais de 30 mil turistas que devem desembarcar em Manaus, no período dos Jogos Olímpicos. Ao som das toadas, os visitantes foram recebidos na manhã de ontem (3) pelos voluntários que distribuíram colares indígenas, confeccionado por artesãs locais.

Durante o evento de abertura do projeto, o diretor de marketing da Amazonastur, Nicolas Cabral, informou que mesmo trazendo resultados bastante satisfatórios, o alto custo desse evento impede que os órgãos realizem a festa de boas-vindas aos visitantes, ao longo do ano. A aposta em grandes eventos é um meio de dar mais visibilidade ao Estado, principalmente no cenário internacional.

“O evento requer muita verba, então temos que ter um orçamento muito grande para manter a ação receptiva nos 365 dias do ano. O melhor é focar naqueles períodos em que Manaus recebe uma grande quantidade de turistas. Precisamos ser inteligentes e usar os recursos de uma maneira que os resultados sejam eficazes”, salientou.

Conforme João Araújo Carvalho, diretor de turismo do Manauscult, para atender cada vez melhor o turista e aperfeiçoar os serviços, o órgão realiza mensalmente uma pesquisa de qualidade sobre a cidade.

A estimativa da Secretaria de Aviação Civil do Ministério dos Transportes é a de que mais de 100 mil desembarquem em Manaus durante os Jogos Olímpicos – entre o período de 4 a 24 de agosto. Uma das subsedes das Olimpíadas Rio 2016 Manaus receberá seis jogos de futebol, que ocorrerão na Arena da Amazônia.

Pesquisa

A Amazonastur também está realizando uma pesquisa neste período dos Jogos Olímpicos, em quatro postos instalados no aeroporto internacional Eduardo Gomes e nos shoppings Manauara, Amazonas Shopping e Ponta Negra, além dos pontos da Manauscult que estão instalados no mercado Adolfo Lisboa, no Centro, e um na Arena da Amazônia.

“O objetivo geral nosso é que a festa seja um sucesso. Por isso estamos trabalhando em conjunto para dar ênfase ao evento. Na Copa o resultado da nossa ação foi muito boa, em termos de visibilidade, sendo Manaus classificada como um dos melhores pontos turísticos. Para as Olímpiadas, nós apostamos na mesma situação. As pesquisas da Manauscult são feitas mensalmente, ao final do mês são compilados os dados onde serão avaliados o público que veio para as Olimpíadas e o que veio a passeio normal. Vamos utilizar esses dados para cada vez mais melhorar o serviço de turismo, melhorar o material promocional e verificar como nos portamos diante dos grandes eventos”, frisou João.

No caso do Estado, serão coletadas as informações que compreendem o tempo em que o turista passa na capital e quanto gasta. Nicolas Cabral disse que neste momento o trabalho está sendo voltado para que o visitante passe mais tempo em Manaus. “A média era de três dias, agora o turista já passa quatro dias e meio no Amazonas. Queremos atrair o visitante, não somente para ficar nos hotéis de floresta, mas também para passar mais tempo em Manaus, isso fará com que ele deixe mais renda na cidade. Outros investimentos no turismo local são as feiras internacionais que automaticamente oferecem uma mídia espontânea, que traz imensos resultados positivos. Já o resultado das pesquisas deste período deve ser divulgado em no máximo duas semanas após o fim dos Jogos Olímpicos”.

Surpresa

Além da emoção de reencontrar familiares no desembarque em Manaus, a jornalista Tassy Santiago, que atualmente mora na Austrália, se surpreendeu com o calor da recepção oferecida pelas secretarias de cultura.

“É muito bom chegar aqui e receber o carinho da família, ainda mais quando se tem um evento desses nos esperando, que nos acolhe com o ritmo da nossa cultura, mostrando que estamos no Brasil, lugar alegre, de pessoas felizes. Eu ainda não sei para quem torcer, fico dividida entre o amor que tenho pelo Brasil e pelo amor com a Austrália, mas de uma coisa eu tenho certeza, a receptividade do nosso povo ficará marcado nessas Olimpíadas”, afirmou.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir