Esportes

Obcecado pelo acesso, Nacional estréia em Rondônia

Charles (de branco) é um dos poucos remanescentes do elenco nacionalino que disputou a Série D do ano passado - foto: Diego Janatã

Charles (de branco) é um dos poucos remanescentes do elenco nacionalino que disputou a Série D do ano passado – foto: Diego Janatã

Após dar vexame na Série D do ano passado, quando sequer conseguiu avançar à segunda fase da competição, o Nacional terá uma nova chance de alcançar o tão sonhado acesso. Neste domingo, às 18h (de Manaus), o Leão da Vila Municipal estreia na última divisão do Campeonato Brasileiro fora de casa, no estádio Aluízio Ferreira, em Porto Velho (RO), diante do Genus.

Assim como o outro representante do Amazonas na competição, o Nacional também manteve sua filosofia: apostou num elenco recheado de jogadores experientes, a grande maioria sem passagem pelo futebol local e com poucos amazonenses e atletas jovens. O responsável por comandar a nau azulina, será ninguém mais ninguém menos que o ‘rei do aceso’ Vagner Benazzi.

A um mês à frente do Naça, o técnico leonino ainda sente falta de alguns aspectos no setor ofensivo da equipe. Na última semana, o comandante realizou vários treinos coletivos para aprimorar o entrosamento entre os jogadores. Para a estreia de hoje, Benazzi acredita que o time terá a velocidade como sua principal arma, além de um bom aproveitamento nas finalizações. Para isso, os amazonenses contam com o atacante, artilheiro dos últimos três Campeonatos Goiano com a camisa do Goianésia.

“Sempre tem (dificuldade de estrear fora de casa), principalmente quando você encontra um adversário perdeu um jogo no meio da semana. Eles perderam a chance de disputar o título estadual. Mais uma coisa que teremos que superar, pois eles vão vim com mais cautela. Esperamos um bom futebol. Eles trabalham bem, tanto é que sempre estão incomodando”, aponta o comandante leonino.

Remanescente do grupo formado pelo técnico Heriberto da Cunha, o zagueiro Roberto Dias segue com moral no Nacional. Um dos poucos que se salvou após os fracassos nas Copas Verde e do Brasil, o beque vê a equipe bem preparada para a estreia na Série D. De acordo com ele, os poucos jogos realizados pela equipe nesta temporada permitiu dedicação total aos treinamentos.

“Nossa pré-temporada começou há seis meses A nova comissão técnica chegou há um mês, tivemos esses 30 dias de preparação intensa, então acho que isso nos ajudou ainda mais fisicamente, para que a gente esteja preparado para a maratona de jogos que vai ser a Série D. O entrosamento a gente vai adquirir no decorrer do campeonato”, avalia o zagueiro nacionalino.

 

Por André Tobias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir