Política

OAB pede apuração sobre advogado acusado de interferir na Lava Jato

O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Marcus Vinicius Furtado Coelho, pediu a abertura de um processo ético e disciplinar na entidade para apurar o comportamento do advogado Edson Ribeiro, contra o qual foi decretada ordem de prisão pelo ministro do STF Teori Zavascki.

Edson Ribeiro advoga para o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, que fechou um acordo de delação premiada com a PGR (Procuradoria Geral da República).

O presidente da OAB pediu que seja avaliada “possível infração ao código de ética da advocacia, assegurando-se ampla defesa” a Ribeiro.

Em gravação feita pelo filho de Cerveró, Bernardo, o advogado aparece combinando com o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) possível interferência política no STF e um plano de fuga de Cerveró para Paraguai e Europa.

Edson Ribeiro está em viagem aos Estados Unidos e seu nome entrou nesta quinta-feira (26) na difusão vermelha da Interpol como procurado pela Justiça brasileira. Porém, ele não é considerado foragido porque a PF não tem provas de que ele viajou aos EUA já sabendo que seria alvo de um mandado de prisão.

A OAB deverá montar uma comissão especial para investigar o caso. As penas previstas são censura, suspensão e exclusão do rol de advogados habilitados a atuar no país. Às duas primeiras sanções também podem ser acrescidas multas.

A comissão da OAB não tem prazo definido para encerrar os trabalhos.

Edson Ribeiro tem sido procurado pela reportagem desde a quarta-feira em seu telefone celular, mas o aparelho só dá sinal de desligado.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir