Cultura

‘O Corvo: um livro colaborativo’ teve participação de jornalista amazonense

foto: divulgação

foto: divulgação

A jornalista amazonense Adriana Chaves idealizou e montou a estrutura de “O Corvo: um livro colaborativo”. O projeto conta, ainda, com a participação de Camila Numazawa, que, segundo Filipe Larêdo, da Editora Empíreo, colocou no papel todos os dados necessários para verificar a viabilidade do livro.

“Já recebemos textos de diversos autores da Região Norte, inclusive de Manaus. Um deles é o Mário Bentes, que já participou conosco do projeto ‘Desnamorados’. Além dos amazonenses, temos também alguns autores paraenses que já enviaram seus textos. É o caso do Edyr Proença, que acabou de receber prêmios na França, e Salomão Larêdo, que já recebeu o Prêmio Monteiro Lobato da União Brasileira dos Escritores”, cita.

O escritor amazonense Mário Bentes participa, pela segunda vez, de um projeto colaborativo da Editora Empíreo. “Pessoalmente, é uma grande honra receber esse tipo de convite do editor e organizador do livro, pois mostra que ele reconhece e gosta do meu trabalho como autor. No momento, estou finalizando uma estória que mescla suspense e mistério, resgatando o melhor estilo Edgar Allan Poe, que é o grande homenageado com a antologia”, destaca.

Para Bentes os projetos de financiamento coletivo representam um modelo viável e agregador. O escritor conta que já fez uso do de financiamento coletivo. Ele participou, como autor independente, da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em 2014.

“Sem o apoio da rede, de admiradores e leitores não teria sido possível sozinho. O crowdfunding, portanto, além de viabilizar projetos culturais naquilo que é mais difícil de obter – a verba –, ainda agrega o público em participar, de certa forma, do projeto. Eu também costumo colaborar com essa modalidade de incentivo a projetos culturais”, pontua.

Para construir uma rede colaborativa e forte ele conta que convida os amigos para também participarem de projetos como esse. “Sempre colaboro e incentivo minha rede a participar. Como também tenho um selo editorial dedicado à literatura fantástica, o ‘Lendari’, acabo convidando os autores de nossos projetos editoriais a participarem de projetos de outras editoras. Nosso foco é ajudar a lançar novos autores, seja por nosso selo ou por editoras parceiras. E considero a Empíreo uma grande parceira nesse sentido”.

Por Cleidimar Pedroso (especial EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir