Cultura

‘O Camareiro’ lidera indicados do segundo semestre ao Prêmio Shell

O Camareiro

Criado em 1989, o Prêmio Shell é tido como ponto de referência do teatro brasileiro. Os laureados receberão uma escultura em forma de concha dourado do artista plástico Domenico Calabroni e R$ 8 mil. foto: divulgação.

O Prêmio Shell de Teatro divulgou nesta terça-feira (15) os indicados do segundo semestre de sua 28ª edição. Os vencedores das nove categorias – autor, diretor, ator, atriz, cenografia, iluminação, música, figurino e inovação – serão conhecidos em março de 2016.

“O Camareiro” lidera com indicações em seis categorias, seguido de “A Tempestade”, com quatro. O prêmio ainda homenageará o diretor Antunes Filho por seu papel na formação de profissionais do teatro.

Criado em 1989, o Prêmio Shell é tido como ponto de referência do teatro brasileiro. Os laureados receberão uma escultura em forma de concha dourado do artista plástico Domenico Calabroni e R$ 8 mil.

 

Confira os indicados:

Autor

Vinicius Calderoni por “Ãrrã”

Silvia Gomez por “Mantenha Fora do Alcance do Bebê”

 

Direção

Gabriel Villela por “A Tempestade”

Ulysses Cruz por “O Camareiro”

 

Ator

Tarcísio Meira por “O Camareiro”

Helio Cicero por “A Tempestade”

 

Atriz

Christiane Torloni por “Master Class”

Taís Araújo por “No Topo da Montanha”

 

Cenário

André Cortez por “O Camareiro”

Renato Theobaldo por “Master Class”

 

Figurino

Beth Filipecki e Renaldo Machado por “O Camareiro”

Gabriel Villela e José Rosa por “A Tempestade”

 

Iluminação

Domingos Quintiliano por “O Camareiro”

Wagner Pinto por “A máquina Tchekhov”

 

Música

Babaya e Marco França por “A Tempestade”

Rafael Langoni Smith por “O Camareiro”

 

Inovação

Exposição “Máquina Tadeusz Kantor – teatro + happenings + performances + pinturas + outros modelos de produção” pela abrangência da linguagem artística, proporcionando conhecer o universo Tadeusz Kantor e o diálogo entre culturas.

Núcleo de Dramaturgia SESI – British Council pelo estímulo e formação de novos dramaturgos, favorecendo o intercâmbio de processos criativos na escrita teatral.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir