Dia a dia

Novo trecho da Eduardo Ribeiro será entregue hoje

Os trabalhos na calçada são realizados após o fechamento das lojas - foto: divulgação

Os trabalhos na calçada são realizados após o fechamento das lojas – foto: divulgação

O primeiro trecho da nova avenida Eduardo Ribeiro, entre a praça do Congresso, na rua Monsenhor Coutinho, e a rua 10 de Julho, será entregue à população nesta sexta-feira, 18, às 10h, após mais de 80 dias de trabalho. No local, foi recuperado o pavimento original e as pedras lioz, além dos paralelepípedos, que voltam a compor a nova avenida.

Os paralelepípedos recuperados foram fixados nos cruzamentos e nas faixas laterais próximas ao meio-fio. Já na pista de rolamento foram encaixadas peças pré-moldadas de concreto (pavers) que, além de beleza e harmonia, apresentam maior durabilidade para o trânsito de veículos.

As obras dessa primeira etapa, compreendida entre as ruas Monsenhor Coutinho e 10 de Julho, foram iniciadas no dia 5 de outubro e seguem a passos largos para que não causem grandes prejuízos ao comércio da área.

Segundo o subsecretário de Infraestrutura, Antônio Nelson, a matéria-prima utilizada nessa obra oferece a celeridade necessária aos serviços. “Os pavers implantados no lugar do asfalto são de fácil assentamento, altamente resistentes ao clima e, tão logo aplicados, o trânsito para veículos já pode ser liberado”, explica.

Além do resgate dos paralelepípedos, a área ganha uma nova rede de drenagem profunda com a implantação de tubos de 0,80 e 0,60 centímetros de diâmetro, e confecção de meio-fio e sarjeta.

O projeto, aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), foi concebido pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) e detalhado pela empresa Laghi Engenharia, contratada para desenvolver o projeto executivo de revitalização da avenida.

Os trabalhos na calçada são realizados após o fechamento das lojas, durante o período noturno. Já durante o dia, o trecho da calçada com obra em andamento é fechado com pranchões de madeira para não comprometer o fluxo de pedestres.

Na sequência, os trabalhos seguem para os demais quarteirões da Eduardo Ribeiro, descendo até chegar à avenida Marquês de Santa Cruz.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir