Sem categoria

Novo programa de Gestão Integrada da Saúde no Estado promete agilizar processos e mais precisão em resultados

O objetivo é que, com a agilização nos procedimentos, os custos também sejam reduzidos”, argumentou Melo- foto: divulgação/Valdo Leão

O objetivo é que, com a agilização nos procedimentos, os custos também sejam reduzidos”, argumentou Melo- foto: divulgação/Valdo Leão

Em face a tantas reclamações referentes às grandes filas de espera para conseguir uma consulta ou uma intervenção cirúrgica na rede pública por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), o governador do Estado, José Melo (Pros), lançou na manhã desta sexta-feira (16), o programa de Gestão Integrada da Saúde.

O sistema implantado pela Secretaria de Estado da Saúde (Susam) desenvolvido pela empresa de Processamento de Dados Amazonas S.A (Prodam) visa racionalizar os gastos, além de agilizar o atendimento aos usuários. O lançamento aconteceu na sede do governo, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus.

“O Amazonas gasta muito com saúde pública. É um dos Estados que mais investe no setor, mas, por ter um sistema grande, acaba não funcionando de maneira correta, gerando descontentamento na maioria das pessoas, que reclamam das longas filas para a realização de exames e também de cirurgias,”, explicou o governador durante entrevista coletiva.

Melo informou que, com a integração do sistema, uma vez realizado o cadastro do paciente, o prontuário com informações das consultas, exames realizados com o diagnóstico, além dos agendamentos, ficam acessíveis para os outros profissionais, que a partir das informações disponibilizadas no prontuário eletrônico, poderão encaminhar o enfermo para uma unidade de saúde, onde haja disponibilidade de leitos e medicamentos.

“A ideia é modernizar o sistema para acabar com as filas, agilizando a entrega dos resultados dos exames e atendendo mais rapidamente este paciente. O objetivo é que, com a agilização nos procedimentos, os custos também sejam reduzidos”, argumentou Melo.

“No ponto de vista ‘filantrópico’, o SUS é o melhor sistema do mundo, pois dá a cada governo a sua responsabilidade. Porém, o SUS não possui recursos suficientes para atender a demanda. A cada dez pacientes, os recursos disponíveis só permitem atender quatro pessoas”, pontuou o governador.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, na área da assistência farmacêutica, o principal ganho é a padronização e o maior controle dos processos de compra e distribuição de medicamentos e outros produtos para a saúde. “O que teremos é uma ferramenta que vai nos assegurar o monitoramento preciso de toda a cadeia de suprimentos da rede, desde a aquisição até o seu destino final, que é o paciente. Com esta visão ampla do processo, seremos mais efetivos na disponibilidade desses insumos na quantidade e no tempo certo, o que representa ganho para os usuários do sistema. Além disso, aumentamos nossa capacidade de evitar perdas ou desperdícios e gerar economia para o Estado, portanto”, explicou o secretário.

O Programa de Gestão Integrado de Saúde foi planejado para ter entregas parciais, de modo a produzir resultados já no início de 2016, quando será disponibilizado para a Central de Medicamentos o módulo de Controle Integrado das Compras e Estoques de Medicamentos e Produtos para Saúde.

De acordo com o titular da Susam, a PPP vai assegurar uma economia de 30% nos custos da rede com esse tipo de serviço de controle biológico, essencial ao funcionamento das unidades de saúde (maternidades, prontos-socorros e hospitais), e que hoje é efetuado por meio de múltiplos contratos.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir