País

Nove de 15 vítimas de acidente em Paraty são identificadas

Nove das 15 vítimas do acidente com o ônibus da empresa Colitur, que capotou no domingo (6), na estrada entre Paraty e Trindade, no sul fluminense, haviam sido identificadas até o início da tarde desta segunda (7).

Cinco dos mortos moravam em São Paulo, um casal era de Timóteo (MG) e uma mulher, do Rio; a outra vítima, Thalita Amâncio, foi identificada pela Prefeitura de Paraty, que não informou sua idade ou local de residência -ela foi a única que não morreu no local do acidente, chegando a ser transferida para um hospital em Paraty.

A identificação vem sendo feita por parentes dos mortos, que viajaram até Angra dos Reis (RJ), para onde os corpos foram levados.

“Meu filho veio de São Paulo passar o feriado. Veio de ônibus e vai embora num caixão”, disse Yara Cristina da Silva, 43, mãe de Bruno Mariano da Silva, 26.

Morador de Ferraz de Vasconcelos (SP), Bruno estava indo visitar a mãe em Trindade (RJ) quando morreu no acidente. Ele trabalhava numa fábrica de tecidos e fazia curso para ser designer de roupa, segundo Yara.

“Ele estava fazendo curso para se especializar. Chegava em casa à meia-noite todo dia. Tinha vontade de crescer”, afirmou a mãe. Bruno deixa dois filhos, um de três meses e outro de seis anos de idade.

Moradora de Trindade, a ajudante de cozinha disse que os ônibus da Colitur não têm condições de transportar passageiros com segurança -o veículo acidentado já havia sido multado duas vezes por excesso de velocidade.

A polícia também suspeita de superlotação, já que o ônibus transportava mais de 80 pessoas no momento do acidente, apesar de seus documentos indicarem que tinha capacidade para 45 passageiros. Boa parte dos embarcados viajava em pé.

“Nao é a primeira vez que acontece acidente. Quero saber da responsabilidade da Colitur”, disse Yara, que afirmou conhecer o motorista envolvido no acidente, Marcel Magalhães Silva, 50. “Ele é bom motorista. Ele não tem culpa.”

O motorista foi internado na Santa Casa de Ubatuba (SP) e, até o início da tarde, estava no setor de observação, aguardando a chegada da ambulância da prefeitura de Paraty que irá levá-lo de volta ao município sul-fluminense.

Outras vítimas

Outra vítima identificada na tarde desta segunda foi a estudante Kathellyn Xavier, 18. Moradora de São Paulo, ela estava com a amiga Gabriele de Macedo, 21, que também morreu no acidente.

Segundo seu pai, Wilson Goncalves de Abreu, 50, Kathellyn cursava pedagogia e havia acabado de passar num concurso para inspetora na rede municipal. “Queria seguir a carreira da mãe”, disse o pai. Segundo ele, a filha começou a viajar sozinha com as amigas há um ano.

Gabriele Mateus de Macedo, 21, que cursava publicidade na Faculdade Butantã, foi identificada pela tia e madrinha, Marcia Cristina Oliveira. “A diversão dela era viajar, conhecer o mundo. O sonho dela era ir para o exterior”, disse a madrinha, que foi ao IML acompanhada do pai de Gabriele.

Moradora da Ilha do Governador, no Rio, Tatiane de Assis Albuquerque, 38, foi outra das vítimas identificadas na tarde desta segunda – seus irmãos a reconheceram no IML (Instituto Médico Legal) de Angra dos Reis.

Ela havia viajado a Paraty com o marido, Adailto Antônio Brás Sobrinho, 37, e um grupo de amigos. Adailto, que também estava no ônibus, está internado num hospital em Angra, com lesão hepática grave, mas seu estado era estável, segundo informação da Prefeitura de Paraty.
Acidente
O ônibus da Colitur seguia do centro de Paraty para Trindade, bairro a cerca de 32 km, quando tombou no acostamento no trecho conhecido como Morro Deus Me Livre, assim chamado por ser uma estrada sinuosa e ladeada por abismos.

A maioria dos passageiros eram turistas. Fotos e vídeos publicados na internet mostram que grande parte deles eram jovens.

Em nota, a empresa dona do ônibus diz lamentar o acidente e afirma que irá investigar suas causas.
“A Colitur lamenta profundamente o ocorrido e informa que está apurando as causas do acidente e prestando todos os esclarecimentos às autoridades. Informa também que está prestando todo o apoio às vítimas e aos familiares das vítimas fatais”.

Mortos já identificados

Bruno Mariano da Silva, 26, de Ferraz de Vasconcelos (SP)
Claudia Maria Arruda, 54, de Timóteo (MG)
Gabriele Mateus de Macedo, 21, de São Paulo
Juliana Rocha Medeiros dos Santos, 26, de São Paulo
Kathellyn Fernandes Xavier, 18, de São Paulo
Robson Antunes Braga, 52, de Timóteo (MG)
Tatiane de Assis Albuquerque, 38, do Rio
Thalita Amâncio – idade e residência desconhecidas
Vanilda Santana Moura, 62, de São Paulo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir