Mundo

Nova premiê britânica indica ex-rival para chefia da pasta de agricultura

Criticada, Leadsom se desculpou e disse que não tinha o necessário apoio do partido, o que abriu caminho para a nomeação de May - foto: reprodução

Criticada, Leadsom se desculpou e disse que não tinha o necessário apoio do partido, o que abriu caminho para a nomeação de May – foto: reprodução

A nova primeira-ministra britânica, Theresa May, escalou para seu governo Andrea Leadsom, sua ex-rival na disputa pela sucessão de David Cameron.

Leadsom foi indicada, nesta quinta (14), para a chefia da pasta que abarca meio ambiente, alimentos e assuntos rurais.

Terá a difícil tarefa de garantir o bem-estar dos agricultores do Reino Unido, um dos setores potencialmente mais vulneráveis frente ao “Brexit” (a saída do país do bloco europeu), pela perda dos subsídios europeus.

Leadsom e May foram as finalistas na corrida para a vaga de primeiro-ministro do Reino Unido, após votação de parlamentares conservadores ter eliminado outros competidores.

A vaga foi aberta após Cameron anunciar que renunciaria ao posto, no final de junho, logo depois de ter sido derrotado na votação do “Brexit” -Cameron era garoto-propaganda da permanência do Reino Unido na União Europeia (UE).

Antes da votação final entre as duas candidatas, no entanto, Leadsom desistiu da corrida. A renúncia veio depois de uma entrevista em que Leadsom sugeriu que era uma melhor candidata ao governo porque é mãe, e May não é.

Criticada, Leadsom se desculpou e disse que não tinha o necessário apoio do partido, o que abriu caminho para a nomeação de May.

Novo Governo

Theresa May começou, nesta quarta (13), logo após sua oficialização como premiê, a montar o novo governo, com uma mistura de nomes da antiga gestão e novas indicações.

A escolha do ex-prefeito de Londres Boris Johnson, como ministro das Relações Exteriores, foi a nomeação mais controversa.

Na lista dos nomes nomes do governo divulgados nesta quinta (14) estão os de Liz Truss (Justiça) e Justine Greening (Educação).

O novo governo tem pela frente a complexa tarefa de retirar o Reino Unido da UE, enquanto tenta proteger a economia de temidos rompimentos na confiança, no comércio e no investimento.

Em conversa com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, nesta quinta, May disse que espera ter conversas positivas com o bloco sobre o “divórcio”, mas que precisa de tempo.

“A primeira-ministra explicou que nós precisamos de algum tempo para nos preparamos para as negociações”, disse a porta-voz de May.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir