Sem categoria

Nova lei do estacionamento causa tumulto em shopping da Zona Centro-Sul

Durante a manhã desta terça, o Programa de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon) já havia ido ao local fiscalizar, onde o estabelecimento recebeu um auto de constatação, por não estar cumprindo com a lei - foto: Asafe Augusto

Durante a manhã desta terça, o Programa de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon) já havia ido ao local fiscalizar, onde o estabelecimento recebeu um auto de constatação, por não estar cumprindo com a lei – foto: Asafe Augusto

Logo após a publicação da nova lei do estacionamento dos shoppings, no último dia 23 de dezembro a empresa Amazon Park, que atua no Millennium Shopping, se recusou a dar a gratuidade aos clientes que tinham o direito, ocasionando um grande tumulto no estacionamento, por volta de 12h desta terça-feira (5).

Três clientes que fizeram compras no shopping, cujo valor ultrapassaram dez vezes o total a ser pago no estacionamento, tentaram mas não conseguiram fazer valer a nova lei. Fernando Macedo que fez uma compra de R$ 88, Eduardo Brum que gastou R$ 300 e Cristina Frota que comprou R$ 250 insistiram com a gerência do centro de compras para que interviesse e fizesse cumprir a lei, mas os direitos foram negados.

Segundo Fernando, os funcionários da empresa Amazon Park se quer estavam com as devidas identificações da empresa, como crachá, e disseram que os clientes teriam que pagar o estacionamento. “ O problema é que as pessoas abaixam a cabeça e não reclamam, o que acaba dando forças para as empresas. Nós não conseguimos fazer valer nossos próprios direitos. A empresa simplesmente mede forças com a prefeitura e ninguém faz nada, ” declarou Fernando.

O tumultuo se iniciou, mas foram poucos os que se manifestaram contra a Amazon Park e o movimento acabou perdendo força.  Mas Fernando e Eduardo permaneceram ainda por mais de duas horas no local a título de persistência. “Ligamos para o Marcos Frota, ligamos para o 190, onde ouvi uma resposta que não me agradei e ligamos para prefeitura, mas não atenderam. Apenas o secretário de segurança nos atendeu e nos deu orientação, ” disse Fernando.

Durante a manhã desta terça, o Programa de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon) já havia ido ao local fiscalizar, onde o estabelecimento recebeu um auto de constatação, por não estar cumprindo com a lei. A Polícia Militar ainda foi até o local, mas disse que só poderia agir mediante um mandado judicial e foram embora. Após ocorrido os três clientes decidiram entrar na justiça contra a empresa, por danos morais.

Por Joandres Xavier

1 Comment

1 Comment

  1. saulo

    6 de janeiro de 2016 at 02:01

    se os amazoneses procurarem seus direitos vao consegui muda algumas falhas que tanto nas empresas privadas tem como tabem nos orgao publico por exemplo o detram o detram mesmo tendo o aplicativo de agentamento continua aquelas enormes filas e sao poucos os funcionarios que fazem atendimento e a empresa responsavel ´por fazer o recolhimento de captura de imagem e outra que nao faz sua parte ontem fiquei mas de uma hora e meia pra fazer a captura de imagem pra renova a cnh e sem fala no banco bradesco que nao da conta da demanda e olha que e exclusivo pra pagamentos de taxas do dentram e so um caixa pra atende as pessoas no predio de habilitacao hoje so tinha uma senhora atendendo chega dava pena de ver ela tentando ser o mas rapida possivel pra agiliza o atendimento isso era o que eu tinha pra fala pros usuario desse meio de comunicacao mas vale resalta que a populacao tambem nao sabe ser mas agil as pessoas sabem que vao paga a conta mas espera chega a sua vez pra pode abri a bolsa e procura o boleto ai ainda vai atras do dinheiro pra paga entao vamos se esperta acorda manaus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir