Dia a dia

Nova audiência sobre caso de bebê jogado no rio Negro será em novembro

Segundo a Justiça, por ser réu, Josias será o último a ser ouvido – foto: divulgação

Segundo a Justiça, por ser réu, Josias será o último a ser ouvido – foto: divulgação

Uma nova audiência de instrução sobre o caso do bebê Pablo Pietro, de 4 meses, supostamente arremessado no rio Negro pelo próprio pai, o canoeiro Josias de Oliveira Alves, 31, em agosto do ano passado, foi marcada para o dia 16 de novembro deste ano.

Na tarde desta quarta-feira (24), ocorreu a primeira audiência no Fórum Ministro Henoch Reis, Zona Centro-Sul de Manaus. Na ocasião, foram ouvidos o policial militar que atendeu a mãe de Pietro, Cleudes Maria Batista de Morais, 24, um vigilante que emprestou o celular para que ela fizesse uma ligação, o dono da embarcação em que Cleudes e Josias estavam e o patrão do réu.

Conforme Juiza Mirza Telma de Oliveira, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, que presidiu a primeira fase da audiência, Cleudes e as outras testemunhas do caso seriam ouvidas por meio de carta precatória, sendo ela em Manacapuru (a89 quilômetros de capital), porém, a defesa de Josias solicitou que Cleudes prestasse depoimento perante a juíza.

“O advogado de defesa do Josias solicitou que a Cleudes fosse ouvida por mim, o promotor acolheu o pedido, então eu deferi e ela será ouvida pelo júri no dia 16 de novembro. No mesmo dia serão ouvidas a mãe de Cleudes e duas testemunhas. O Josias também será ouvido no dia 16, pois como ele é o réu tem que ser o último a ser ouvido”, informou.

Ainda segundo Mirza Telma, após as audiências de instrução, o processo vai para fase de memoriais, em que a defesa e o Ministério Público do Estado (MPE-AM) vão fazer as alegações finais. “Após esses processos, eu decido se vou pronunciar o caso (júri popular, se não houver recurso das partes), impronunciar, absorver ou desclassificar”, disse.

O Tejam informou que o processo sairá do segredo de Justiça nesta quinta-feira (25). Os promotores do MP/AM Laís Rejane de Carvalho e Géber Mafra Rocha não quiseram comentar o caso.

Defesa
O advogado de defesa de Josias, Josemar Berçot Júnior, disse que para tentar conseguir a absolvição dos crimes de homicídio triplamente qualificado e tentativa de homicídio quiduplamente qualificado usará todas as provas, como o depoimento de testemunhas, os relatos dos familiares de Cleudes que acusam a mãe do bebê como culpada e os depoimentos controversos da ‘vítima’, além do fato do seu cliente ter sido pressionado a confessar na Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS).

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir