Eleições 2016

No Recife, Eduardo Campos ‘some’ em propaganda de afilhado político

No primeiro dia de campanha de Geraldo Julio (PSB), Eduardo Campos não foi citado - foto: Agência Brasil

No primeiro dia de campanha de Geraldo Julio (PSB), pela TV, Eduardo Campos não foi citado – foto: divulgação

Em meio à onda de rejeição aos partidos políticos, a maioria dos candidatos à Prefeitura do Recife escondeu as siglas de origem no primeiro guia eleitoral.

O prefeito Geraldo Julio (PSB), candidato à reeleição, fez críticas ao governo federal e à falta de recursos e usou como contraponto as iniciativas da prefeitura, mesmo no momento de crise. Desta vez, o seu padrinho político, o ex-governador Eduardo Campos (PSB), não apareceu na inserção. A marca do PSB também não está presente, sendo substituída pelo G40, símbolo da campanha.

Com o maior tempo de todos os postulantes, 4min49, Geraldo adotou um tom de conversa com o espectador, citando a crise e as ‘confusões lá em Brasília’. O candidato aposta em cenas externas, ao lado de moradores de áreas periféricas, como estratégia para mostrar as ações feitas pela prefeitura.

O candidato do PT, o ex-prefeito João Paulo, apresentou sua biografia e trajetória política. Um rap conta a história do petista e a letra da música procura destacar a origem humilde do postulante, que já governou o Recife por dois mandatos.

O PT não aparece, a única referência é o número 13 no canto esquerdo da tela com uma estrela em cima. Uma foto da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) ao lado do ex-presidente Lula (PT) é a única referência à sigla.

O tucano Daniel Coelho criticou a atual gestão e evitou promessas. Ele adotou o discurso de continuidade das obras já iniciadas e também não fez referência ao partido ou aos líderes da legenda.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir