Dia a dia

Chuva intensa causa transtornos e transforma beco em ‘balneário’ na Zona Sul de Manaus

Toda vez que cai uma forte chuva na cidade de Manaus os moradores do beco sofrem com a consequência - foto: divulgação

Toda vez que cai uma forte chuva na cidade de Manaus os moradores do beco sofrem com a consequência – foto: divulgação

Moradores no beco Duque de Caxias, no bairro Praça 14, Zona Sul, sofreram mais uma alagação na manhã de ontem após uma forte chuva. Segundo os moradores, a intensidade da água foi tão forte que o local serviu de balneário para crianças e animais, e causou transtornos. A área ficou alagada por volta das 12h após chover durante quase toda manhã deste domingo (13).

O motorista de caminhão, que mora no beco, Ítalo Silva, 54, aproveitou para fazer um apelo ao poder público para que seja feita alguma ação no local para resolver o problema. “Estamos pedindo apoio dos dirigentes para fazerem tubulações novas, pois agora estamos sem previsão para sair do local, já que o Prosamin disse que não vai mais tirar. Se ao menos derem o material, os moradores aqui entram com a parte da mão de obra. Nós mesmos fazemos o serviço”, concluiu.

De acordo com a dona de casa, Lucila Rodrigues, 80, já virou rotina em toda chuva esse problema. “Aqui sempre alagou com as chuvas, só que agora o problema é que demora demais para secar e a água acaba ficando presa. A tubulação é muito antiga. E junta mais com o lixo aí a água já nem passa mais direto. Aqui no beco só temos esse bueiro para fazer a vazante de toda essa água”, disse ela.

Ítalo detalhou como foram os trabalhos para escoar toda a água. “Só neste domingo alagou três vezes. Secava e voltava a encher. Tivemos muito trabalho para tirar os objetos. Tentamos desentupir com uma barra de ferro e ainda tiramos três baldes grandes com lixo.  O problema é que está demorando para escoar a água, a vazante é muito lenta. As barragens feitas em frente as casas, já não adiantam mais porque a água ultrapassa”, disse.

Em contato com a Defesa Civil neste domingo, o órgão informou que não recebeu chamado para o local nesta data e que só teria acesso ao seu sistema a partir desta segunda-feira (14) para verificar maiores informações de registro passados de ocorrências no beco.

Por Joandres Xavier

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir