Sem categoria

No mês das noivas, pesquisa mostra que Manaus tem preço acessível

O buffet de casamento da Decore - Espaço de Eventos e Buffet custa em média R$ 9 mil - Foto: Divulgação

O buffet de casamento da Decore – Espaço de Eventos e Buffet custa em média R$ 9 mil – Foto: Divulgação

Para quem está pensando em se casar ou já está nos preparativos do grande dia, pesquisa nacional mostrou que Manaus tem o preço mais acessível para contratar buffet simples por pessoa (R$ 71,50), enquanto Palmas possui o custo mais alto da Região Norte (R$ 78). A capital amazonense também dispõe de um preço mais em conta em relação ao valor do vestido de noiva (R$ 1.971,50); Palmas, por sua vez, apresenta o custo mais elevado (R$ 2.163,50).

Os dados são da GetNinjas, plataforma para cotação e contratação de diversos profissionais, que ajuda a calcular os mais diversos tipos de serviços necessários para a cerimônia, em várias capitais do país. O levantamento foi realizado em janeiro deste ano, com mais de 12 mil profissionais em 80 cidades, e está disponível para consulta no site blog.getninjas.com.br.

Conforme a pesquisa, o vestido de noiva em Manaus varia de acordo com o modelo e a forma de serviço como, por exemplo, com bordado e costura custa entre R$ 2.869,70 e R$ 3.627,20, tecido e costura de R$ 1.854,30 a R$ 2.289,70 e só costura de R$ 1.115,20 a R$ 1.347,20. A média de preço entre eles gira em torno de R$ 3.343 (bordado e costura), R$ 1.971 (tecido e costura) e R$ 1.178 (só costura).

Se a noiva procura economizar, alugar o vestido é a opção mais em conta. Na Ducarmo Noivas e Festas, por exemplo, o aluguel de um vestido custa em torno de R$ 500, mas o preço pode chegar até R$ 4 mil. A empresa também oferece alternativas completas para o casal, como pacotes que incluem, além do vestido de noiva, os acessórios (véu, grinalda, etc), o traje do noivo e de duas crianças. Nesse caso, os pacotes saem a partir de R$ 800.

A gerente da loja Daniele Lopes revela que em média 70% do valor dos pacotes é do vestido de noiva. Porém, apesar do preço muitas vezes “salgado”, o mercado está constantemente aquecido. “Cada vez mais os casais buscam oficializar o matrimônio e a crise econômica não está interferindo, pois os casais reduzem os gastos, mas não deixam de realizar o grande sonho. Além disso, hoje em dia tem os casamentos coletivos, que ajudam a ter um gasto menor, visto que as despesas são divididas”, observa.

Buffet

De acordo com a pesquisa, o serviço de buffet segue a mesma linha do mercado de vestidos de noiva. A buffet à la carte custa entre R$ 71,90 e R$ 86,70 (por pessoa), o completo luxo de R$ 81,90 a R$ 101,20, o padrão de R$ 64,80 a R$ 81,00, o básico de R$ 56,90 a R$ 72,40, e o coquetel/finger food de R$ 57,90 a R$ 69,20. A média de preço fica por volta de R$ 79,50 (a la carte), R$ 91 (luxo), R$ 71,50 (padrão), R$ 65 (básico) e R$ 62 (coquetel/finger food).

Iluminação à noite e decoração para o dia

A sócia-proprietária da Decore – Espaço de Eventos e Buffet, Samanta Afonso, diz que realiza em média até dez casamentos por mês. O preço da cerimônia varia conforme a demanda. Geralmente custa a partir de R$ 9 mil. “Temos três opções de buffet. O Trivial, que todos procuram, mas não é todo mundo que quer por ser simples, o Mini Wedding, que é uma comemoração luxuosa para poucas pessoas e o Mais Luxo, com entrada mais elaborada”, comenta.

A empresária conta que hoje em dia o gasto com o casamento não é mais resumido somente com a comida a ser servida aos convidados.

Ela explica que se a pessoa for casar durante o dia tem que investir em decoração, já à noite em iluminação cênica. Além disso, muitos noivos fazem ensaios fotográficos na floresta, no rio, entre outros lugares, o que acaba influenciando no orçamento do evento. “Um casamento de R$ 9 mil já está incluso em torno de 80% da festa”, frisa.

Mesmo com o custo alto, Samanta relata que casamento não é como formatura, que tem datas específicas para ser realizada, ocorre todo final de semana. Os meses de dezembro e o de maio, esse último o próprio mês das noivas, não são mais os preferidos. “Em dezembro sai muito caro, já em maio os noivos geralmente estão trabalhando. A maior escolha é por junho e julho, que é quando a maioria do pessoal está de férias”, aponta.

Por Silane Souza equipe Em Tempo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir