Dia a dia

No dia mundial contra a Malária, App criado para combater a doença é apresentado em Manaus

 O software tem aplicação em áreas remotas como a Amazônia e foi apresentado nessa segunda-feira, em Manaus - foto: divulgação

O software tem aplicação em áreas remotas como a Amazônia e foi apresentado nessa segunda-feira, em Manaus – foto: divulgação

Já testados com sucesso pelas ONGs Médico sem Fronteiras e Cruz Vermelha na África, aplicativos para smartphones chegam ao Brasil para auxiliar no combate e tratamento da malária. Um deles é o ‘Malariatrat’, desenvolvido pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e a Empresa de Processamento de Dados do Amazonas (Prodam). O software tem aplicação em áreas remotas como a Amazônia e foi apresentado nessa segunda-feira, em Manaus, durante a solenidade em combate ao dia mundial contra a malária.

O programa desenvolve algoritmos e técnicas que permitem ao computador apreender determinados padrões para aperfeiçoar seu desempenho em tarefas específicas que envolvem a doença. Com base em padrões de imagens digitais adquiridas por equipamentos de microscopia de luz convencionais, o software ‘aprende’ a aparência típica dos parasitas e os identifica em fotografias dos esfregaços de sangue, realizando em seguida sua contagem e discriminando as células infectadas. Essa tecnologia, segundo os especialistas, é decisiva para fazer diagnósticos mais precisos e providenciar tratamentos mais eficazes contra a malária.

Aplicada a smartphones, a tecnologia se torna portátil e pode ser levada a qualquer lugar. Funciona na plataforma Android, mais abrangente. Com o aparelho é possível reunir dados sobre pessoas com sintomas da doença em qualquer lugar. Antes, era necessário levar a coleta de sangue para laboratórios, o que dificultava a identificação rápida da doença.

O chefe de Departamento de Vigilância Ambiental da FVS, Cristiano Fernandes, disse que o ‘Malariatrat’ será utilizado por profissionais de saúde que poderão, inclusive, ter acesso a dados e metodologias do Ministério da Saúde. “É uma ferramenta que poderá ser usada em qualquer parte do País, orientando, por exemplo, os profissionais que não trabalham rotineiramente com casos da doença”, explicou Fernandes.

Em Manaus, foram registrados 8.503 casos de malária, em 2015, conforme dados da FVS. Houve um aumento de 54% em relação a 2014, quando foram registrados 5.515 novos casos. As áreas de maior incidência são as zonas Leste, Oeste e a rural.

O secretário de Saúde, Pedro Elias, disse que esse é mais um investimento para reduzir a incidência da doença no Estado. De janeiro a março deste ano, informou Elias, o governo investiu R$ 4,2 milhões em de combate e controle da malária. Esses recursos têm sido disponibilizados para os municípios por meio da aquisição de equipamentos, material permanente, insumos estratégicos, equipamento de proteção individual (EPIs), veículos, motocicletas e embarcações. “Nossa meta é fechar o ano com uma redução de 20% no número de casos de Malária em relação ao ano passado. Mas, para alcançarmos esses indicadores, o trabalho deve ser executado de forma comprometida pelos municípios”, declarou.

Durante 2015, foram registrados 73.744 casos de Malária em todo o Estado. No primeiro trimestre deste ano, o Estado registrou 9.927 casos confirmados da doença, sendo 2.583 em Manaus; 2.354 em São Gabriel Cachoeira; 427 em Guajará; e 397 em Lábrea.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir