Dia a dia

No Amazonino Mendes, homem é assassinado com 20 facadas

Robecir foi morto com 20 facadas, que atingiram várias partes do corpo dele - foto: Ione Moreno

Robecir foi morto com 20 facadas, que atingiram várias partes do corpo dele – foto: Ione Moreno

O pintor Robecir Ferreira da Silva, 47, foi morto com 20 facadas na madrugada desta terça-feira (12) em Manaus. O crime aconteceu na rua Ubituba, nas proximidades da Unidade Básica de Saúde (UBS) Artur Virgílio Filho, no bairro Amazonino Mendes, Zona Norte da capital.

Segundo informações da polícia, a vítima estava em via pública, na companhia de outras duas pessoas que não foram identificadas e, após algumas horas, foi encontrado pela população com várias perfurações de arma branca pelo corpo.

Populares relatam à polícia que ouviram gritos de socorro e quando foram verificar o que estava acontecendo encontraram o homem todo ensanguentado. Eles acionaram os policiais militares da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

A polícia suspeita que o crime tenha ligação com o tráfico de drogas, já que no local do crime populares informaram que a vítima era usuária de entorpecente.

Conforme o Instituto Médico Legal (IML), que fez a remoção do corpo, Robecir foi morto com 20 facadas, que atingiram várias partes do corpo dele.

A filha da vítima, a manicure Ketelen Ferreira, 26, confirmou que o pai era usuário de drogas e disse suspeitar que o autor do crime seja um homem identificado somente como ‘Negão’, com quem o pintor tinha uma desavença.

“O papai já havia comentado que esse ‘Negão’ tinha ameaçado ele de morte, devido a um desentendimento que eles tiveram. Ele conhecia o meu pai, pois os dois já trabalharam juntos, mas não sei pelo qual motivo eles teriam se desentendido. Quando fiquei sabendo do crime, corri até ao local, meu pai estava todo ensanguentado, mas ainda estava vivo, quando o abracei ele deu o último suspiro e morreu nos meus braços”, lamentou a mulher.

A mulher ainda falou que após o crime, encontro o suspeito na rua e questionou ele sobre a morte do pai.

“Quando estava voltando para a minha casa, encontrei o Negão e perguntei por que fez isso com o meu pai, mas ele se fez de desentendido e falou que não sabia que o papai havia morrido. Ele estava com umas malas nas mãos, com certeza fugiu”, comentou a manicure.

O crime será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Por Mara Magalhães

Com informações de Bruna Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir