Economia

No AM, seminovos superam carros zero quilômetro nas vendas

Veículos usados, disponíveis em concessionárias de Manaus chegam a custar até 30% mais barato que os modelos zero quilômetros, além de vantagens como prestações e IPVA mais em conta, segundo especialistas - foto: arquivo EM TEMPO

Veículos usados, disponíveis em concessionárias de Manaus chegam a custar até 30% mais barato que os modelos zero quilômetros – foto: arquivo EM TEMPO

O mercado de carros zero quilômetros no Amazonas teve uma queda de 23,6% em junho de 2016, se comparado ao mesmo período do ano passado, conforme medição por emplacamentos no Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM).

No acumulado de janeiro a junho deste ano, a retração foi de 30,7% no comparativo com a mesma temporada de 2015, de acordo com dados dos Indicadores de Desempenho do Estado do Amazonas da (Idea) Secretaria do Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (SeplanCTI-AM).

A maioria dos consumidores que buscam economizar na hora de comprar ou trocar de carro continua optando pelos seminovos, responsáveis por manter o mercado aquecido.

Segundo o gerente de seminovos da Solimões Veículos, João Braga, que com taxas de juros menores e já com depreciação depois de sair da loja o segmento continua sendo uma melhor opção para o consumidor. “O seminovo se encaixa hoje no perfil de prestação que o comprador quer pagar. Ou seja, ele compra um carro completo e sem precisar pagar prestação alta. O carro usado se encaixa em todos os preços e todos os bolsos”, observa o gerente.

Ainda segundo João, no mês de julho, a concessionária teve uma queda nas vendas de seminovos 15 a 20% mas deve melhorar no segundo semestre. “A expectativa é que agora, no segundo semestre, dê uma aquecida. O governo está dando uma mexida e a confiança já voltou e começa a ter uma procura maior”, disse,

A diferença de preço de um seminovo para o zero quilômetro é em média de 30%, segundo João. Na Solimões, enquanto um Gol geração 6, zero quilômetro, completo, custa R$ 38 mil, um seminovo da mesma marca, ano 2013 ou 2014, pode ser revendido por cerca de R$ 28 mil.

Ainda segundo o gerente, entre as vantagens e desvantagens que o consumidor deve pesar na hora de comprar um carro, é que um zero, apesar de ter de 2 a 3 anos de garantia oferecidos pela maioria das montadoras, o preço dos carros teve um reajuste para poder cobrir os fornecedores. Já os usados têm como vantagem o preço mais baixo por conta da depreciação e a maioria dos carros estão bem conservados e completos com todas as opcionais.

O gerente de seminovos da Braga Veículos, Maiquel Loiola, que trabalha com a marca Chevrolet informou que os seminovos continuam num bom momento, gerando negócios.  Segundo ele, as lojas de seminovos se mantem aquecidas e estabilizadas nesse momento de instabilidade econômica.  Já nas vendas de carro zero a queda foi de 25% em julho, se comparado ao mesmo período do ano passado.

“A vendas de carro zero pararam de cair e o mercado se estabilizou em baixa, mas o cenário atual até o fim de 2016 vai ser pior que o ano passado. Agora vamos trabalhar essa nova realidade e fazer com que volte aos poucos com patamares melhores” sustentou Loiola.

De acordo com Loiola, no cenário nacional, antigamente as ruas do país recebiam todos os anos, aproximadamente, 2 milhões de carros e hoje em dia esse número não alcança 1 milhão por ano. “Acredito que até o fim do ano com a definição do cenário político as vendas melhorem mais ainda para o mercado de seminovos”, finalizou.

Por Joandres Xavier

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir